Governo pode antecipar 4ª parcela do Auxílio Emergencial

0
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

No último dia 15 de junho, a Caixa Econômica Federal antecipou os pagamentos da terceira parcela do Auxílio Emergencial para os trabalhadores informais, MEIs e do Cadastro Único.

Os pagamentos já tiveram início na sexta-feira, dia 18, e os saques em dinheiro serão liberados a partir de 1º de julho.

Pelo calendário anterior, o crédito em poupança digital só iniciaria no dia 20, com saques a partir de 13 de julho.

A mudança mais expressiva ocorrerá para os brasileiros nascidos no mês de dezembro que irão receber a terceira parcela ainda dentro do mês de junho (dia 30) junto com os nascidos no mês de novembro.

Antes desta decisão de antecipar a parcela, a data seria para 21 de julho. Agora o governo já está falando na possibilidade de antecipar a quarta parcela do auxílio emergencial.

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O Presidente da Caixa Econômica Federal , Pedro Guimarães, em uma “live” anunciou esta antecipação já que a medida vem funcionando muito bem com os ciclos anteriores, uma vez que os brasileiros estão utilizando o aplicativo do Caixa Tem e evitando se dirigir às agências da Caixa para movimentar os valores.

O calendário atual prevê os créditos da quarta parcela do Auxílio para quem não é do Bolsa entre os dias 23 de julho e 22 de agosto, com saques e transferências liberados entre os dias 13 de agosto e 10 de setembro.

Mas é bom deixar claro que essa antecipação será feita apenas para os trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família.

Para quem faz parte do programa, os pagamentos seguem sempre o mesmo calendário do benefício original, ou seja, segue a ordem do número final do NIS em dias de semana.

O valor da terceira e quarta parcelas do auxílio emergencial 2021 permanece o mesmo: uma cota R$ 150 para famílias de uma só pessoa, R$ 250 para famílias de duas ou mais pessoas e R$ 375 para mães chefes de família monoparental.

Por: Ana Luzia Rodrigues

Sair da versão mobile