Site icon Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal

Horário de Verão pode voltar em 2021

Fonte: Samsung

Fonte: Samsung

O horário de verão pode voltar para ser uma arma contra a crise hídrica que o país está vivendo? O modelo teve seu fim decretado pelo governo Bolsonaro em 2019, no entanto, muitos acreditam que o horário de verão deveria voltar em 2021.

Bento Albuquerque, ministro das Minas e Energia, descartou a volta do Horário de Verão em 2021, para ele, a medida não influencia tanto assim na economia de energia.“Do ponto de vista da economia de energia não há necessidade”, segundo o Ministério.

Para os amantes do horário de verão, a notícia não é boa, o governo não pretende voltar com a prática de adiantar o relógio em uma hora.

O horário de verão é um desejo das entidades do setor de turismo, alimentação e entretenimento que estão pedindo a volta da medida ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Eles acreditam que com o agravamento da crise hídrica, a volta do horário de verão poderá ser uma solução para economizar energia.

Horário de Verão

O horário de verão é uma prática adotada em diversos países como medida de aproveitar ao máximo a luz solar e reduzir o consumo de energia elétrica. A medida é sempre adotada no período do verão.

O horário de verão no Brasil era adotado de outubro a fevereiro do ano seguinte. Já no hemisfério Norte, o horário de verão começa entre março/abril com término normalmente em outubro/novembro.

Os relógios são adiantados em 1 hora, a partir da meia-noite da data de início, ou seja, à meia-noite, os relógios são adiantados para 01h00.

Na data de término do horário de verão, os relógios são atrasados em 1 hora, quando for meia-noite da data de término, ou seja, quando os relógios marcarem meia-noite, deverão ser atrasados para as 23h00.

Horário de verão é prejudicial a saúde

Alguns especialistas dizem que o horário de verão ou término dele causa um desajuste do relógio biológico. Enquanto o organismo não se adapta ao novo horário, o indivíduo se sente mais sonolento e, em decorrência disso, aumenta o cansaço, diminuindo a atenção.

O trabalhador vai render menos, o aluno na escola e no cotidiano em geral, haverá mudanças significativas.
O prazo para o organismo se adaptar ao horário de verão é de uma semana. Além de sono e cansaço, é comum a queixa de alteração nos horários de alimentação e de dormir.

Sair da versão mobile