Passado o carnaval, quem ainda tem dias de folga pode aproveitar para organizar os documentos e garantir a entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física de 2018 nos primeiros dias, e se for o caso, receber a restituição nos lotes iniciais. Nesse ano, os formulários serão aceitos de 2 de março ao dia 27 de abril. Conforme alertam especialistas, ter todas as informações com antecedência evita erros no preenchimento. Neste ano, devem declarar aqueles que receberam rendimentos tributáveis de até R$ 28.559,70, em 2017.

— Os documentos mais importantes que precisam estar em dia são a cópia da declaração do Imposto de Renda do ano anterior (para comparação e checagem de informações), recibos, notas fiscais ou boletos pagos de transações patrimoniais, como a compra ou venda de imóveis ou veículos, recibos e notas fiscais de serviços médicos e odontológicos e comprovantes de contribuição previdenciária para empregados domésticos com carteira assinada — destaca Welinton Mota, diretor tributário da Confirp, Consultoria Contábil.

Vale lembrar que o informe de rendimentos dos bancos e o informe de rendimentos do empregador são essenciais para a declaração, porém, só ficam disponíveis semanas antes do início do prazo de entrega.

O planejamento antecipado evita que faltem documentos no momento de preencher a declaração ou que erros causados por desatenção ou pressa, como deixar de informar uma fonte pagadora ou incluir valores incorretos, façam o contribuinte cair na malha fina. Por isso, a dica é ficar atento e saber quais são os gastos mais comuns que precisam ser declarados no formulário.

De acordo com Silvinei Toffanin, diretor da Direto Contabilidade Gestão e Consultoria, é preciso ficar atento aos gastos mais comuns para não cometer erros banais.

— Dados sobre empregados domésticos, aluguel, despesas com saúde, educação, investimentos e aplicações são imprescindíveis e merecem grande atenção. Por isso, é preciso deixar tudo organizado em uma pasta, especialmente os informes de rendimentos, para não ter dor de cabeça durante a entrega — diz.

RASCUNHO JÁ ESTÁ DISPONÍVEL
Para evitar dor de cabeça na entrega, o contribuinte pode optar por fazer o rascunho da declaração, já disponível no site da Receita. Esse recurso importa dados de 2017 e traz a maioria dos questionamentos que virão no preenchimento da declaração oficial. Segundo Welinton Mota, usar a ferramenta é uma ótima saída para evitar erros.

— É sempre melhor porque a pessoa evita erros. Além disso vai se preparando desde já quanto ao valor que terá de desembolsar de imposto antes mesmo de enviar a declaração — afirma.

Vale lembrar que Receita exige, no momento da declaração, o CPF para os dependentes a partir de oito anos. Para obter o documento basta se dirigir a uma agência da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil ou dos Correios. É necessário apresentar o RG ou a certidão de nascimento da criança e um documento com foto que comprove a responsabilidade sobre o menor. Com Agência Globo

Comente

Comentários

Deixe uma Dúvida