Com as festas de fim de ano se aproximando, fica fácil distrair-se e esquecer de uma tarefa muito importante: a Declaração de Imposto de Renda do próximo ano. É bom lembrar, inclusive, que o quanto antes for feito, melhor para o contribuinte, uma vez que a tarefa não é tão simples assim para ser realizada às pressas. O primeiro passo é se organizar e separar todos os documentos importantes que serão utilizados.

Segundo a contadora Dora Ramos, CEO da Fharos Contabilidade, no Imposto de Renda você deve declarar tudo o que ganhou e pagou no ano anterior. “Podem ser ganhos de venda de bens, aluguéis, reformas em imóveis e despesas com construções”, explica.

Todos os anos a Receita Federal divulga as regras para o ano de entrega, e o contribuinte deve ficar atento ao fato de que tudo o que faz durante o ano deve ser declarado no ano seguinte. Lembrando, é claro, que estão obrigados a declarar o Imposto de Renda 2020 os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano de 2019. Os que alcançarem renda anual inferior a R$ 28.559,70 até o dia 31 de dezembro de 2019 estarão isentos da declaração.

“O principal erro cometido no momento de declarar o Imposto de Renda é não guardar todas as notas fiscais das compras realizadas no ano que passou, por menores que sejam. É preciso organizar tudo para não enfrentar problemas com a Receita Federal após a entrega”, ressalta Dora. Na hora de preencher as informações também é imprescindível se atentar aos erros de digitação, que podem interferir nas informações corretas do documento. Revisar com calma quando estiver pronto é de grande valia.

receita federal

Embora a data ainda não tenha sido divulgada, fique atento, pois possivelmente ocorrerá entre o início do mês de março e correrá até a última semana de abril, como nas edições passadas. Para adiantar o processo, informações importantes e a lista de documentos para o IR 2020já estão liberadas no site da Receita federal. São eles:

informações gerais;
dados da conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja;
nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes e data de nascimento;
endereço atualizado;
cópia da última Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (completa) entregue;
atividade profissional exercida atualmente.

Para saber que tipo de cálculo deve-se fazer para descobrir a própria renda anual, a contadora explica que é necessário somar todos os rendimentos tributáveis e na faixa de renda do contribuinte.” Em seguida, a restituição nada mais é o que a devolução do montante a mais que foi pago ou retido na fonte antes da declaração de ajuste anual”, acrescenta.

Recentemente foi feita uma proposta pelo presidente Jair Bolsonaro para reajustar a tabela do Imposto de Renda 2020, mas até o momento não foram publicadas novas informações a respeito do assunto. Sendo assim, os contribuintes deverão ter como base a tabela do Imposto de Renda do ano anterior (2019). Para quem não consegue arcar com os custos de um contador na hora de se organizar, é uma boa saída. Através de um programa disponível para download no site da Receita Federal, o usuário consegue informar todos os rendimentos pela internet e facilitar o processo.