Imposto de Renda: Saiba o que é e como evitar a malha fina

212

Em tempos de , a é uma figura que se torna altamente popular e muito temida. No entanto, apesar de esse termo se muito conhecido e falado por aí, muitas pessoas não sabem exatamente o que é a Malha Fina e apenas a temem, sem se aprofundar no assunto.

Por esse motivo, resolvemos criar este post para explicar exatamente o que é essa tal de . Sim, ela deve ser temida e evitada, mas, de forma alguma, “cair na ” significa que você cometeu algum crime. Isto é, neste post derrubaremos alguns mitos sobre esse assunto e apresentaremos alguns cuidados a serem tomados. Então, não deixe de acompanhar até o fim…

O que é a ?

Ok, como sempre costumamos dizer, subestimar a é um erro. Com todo o aparato do referido órgão governamental, seu potencial para realizar o cruzamento de dados é surreal. Como estamos falando de um assunto tão importante como os impostos, não temos qualquer espaço para erros, já que a Receita não hesita em aplicar o rigor da “” em situações “duvidosas”. Mas, indo por partes, vamos entender o que é essa tal de “Malha Fina”.

Bem, estamos falando da Malha Fiscal da Declaração de Ajuste Anual da Pessoa Física. Isto é, trata-se um procedimento no qual a intensifica o seu monitoramento a fim de encontrar erros e revisar alguns dados. Logo, podemos dizer que a Malha Fina é colocada em prática quando certos dados de uma declaração de Imposto de Renda são inconsistentes, duvidosos ou, simplesmente, errados.

Assim, quando algumas dessas “incoerências” são verificadas, o sistema realiza uma análise ainda mais profunda na declaração e intensifica o cruzamento de dados. Diante disso, a contata o contribuinte em busca de respostas e, caso as respostas dadas não sejam suficientes, é aberta uma investigação (esse último caso é o mais grave e preocupante).

Leia Também:  Retenção na fonte de Imposto de Renda sobre pagamento de aluguel

E como eu “caio na ”?

Como temos discutido muito sobre o em alguns posts recentes, já repetimos várias vezes que qualquer pessoa pode fazer sua própria declaração de Imposto de Renda. Todavia, isso não é indicado por nós, já que nem todos possuem os conhecimentos ou a experiência necessária para reduzir o risco de erros ao máximo.

Desse modo, podemos dizer que, geralmente, o que leva uma pessoa a “cair na ” é a má fé e os erros. Quanto à má fé, a pessoa estará, deliberadamente, sonegando impostos e, claro, aí ela estará assumindo os riscos. No caso dos erros, é muito comum encontrarmos situações nas quais a falta de atenção e de experiência são visíveis.

Além do mais, uma situação interessante que aconteceu com frequência no ano passado foi o monitoramento das redes sociais. Pois é! Desde 2016, a vem cruzando os dados dos perfis nas redes sociais a fim de verificar pessoas que ostentam vidas de luxo e apresentam declarações que não condizem com tanta ostentação.

Logo, como sempre ressaltamos, é imperativo que você jamais negligencie o poder de fiscalização da Receita. E mais, a não ser que você saiba o que está fazendo, sugerimos que você procure por um contador para realizar a sua declaração. Essa será a decisão mais sensata e lhe manterá bem longe de problemas e da temida “”.

E como proceder “na ”?

Para começar, se você tiver o acompanhamento de um contador e “cair na Malha Fina”, o profissional irá lhe ajudar durante todo o processo. E sim, é possível corrigir erros com uma declaração retificadora. No entanto, lembre-se de que, quando for apresentar seus dados e informações para o contador, não deixe “nada de fora”. Afinal, é nessas omissões que os problemas costumam estar.

Leia Também:  EXCLUSIVO | Autuação de 5 mil empresas por irregularidades no Imposto de Renda

Ainda assim, é bom ressaltar que a “Malha Fina” é um processo que exige a prestação de contas diante da Receita. Quando chegamos à fase de investigações é que a situação começa a ficar preocupante, já que, após cruzar os dados e ouvir seus esclarecimentos, a Receita continuará duvidando das informações.

Todavia, como dizia o velho ditado “quem não deve, não teme”, tudo pode ser resolvido com a apresentação dos dados corretos e as devidas justificativas. De todo modo, o ideal é evitar que o “cerco feche”, elaborando uma declaração precisa, livre de erros a fim de evitar essas preocupações desnecessárias.

Vamos evitar a ?

Neste post, tratamos de esclarecer as informações acerca da temida “”. Como pôde notar, trata-se de uma situação que exige cuidados, mas que não índica que você está cometendo algum crime. Ademais, com o apoio de um contador experiente e com todas as informações e comprovantes à mão, os riscos podem ser minimizados ao máximo, então, embora a situação deva ser vista com seriedade, com a ajuda do contador, a sua paz de espírito estará assegurada.

Dica: Aprenda a fazer Declaração de Aprenda tudo de IR em apenas um final de semana.

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber sobre IR.

No curso você encontra:

  • Conteúdo detalhado, organizado e sem complexidade.
  • Videoaulas simples e didáticas.
  • Passo a passo de cada procedimento na prática.

Tudo a sua disposição, quando e onde precisar

Não perca tempo, clique aqui e aprenda a fazer a declaração do .

Conteúdo original Doria Contabilidade