Imposto Diferido: saiba o que é e como funciona

0

Onde existe lucro também existe a cobrança de impostos e isso também vale para o imposto diferido. Ele é cobrado sobre o lucro mas deve ser pago apenas no próximo ano-calendário. Mesmo diante disso, todas as movimentações financeiras da empresa, relativas à entrada de dinheiro ou bens precisam ser registradas no balanço atual. 

Vale ressaltar que, sobre estes ganhos tributáveis incide o Imposto de Renda que é feito para fins fiscais no LALUR (Livro de Apuração do Lucro Real). Mas você deve estar se perguntando quando o ganho desta movimentação entrará em caixa se o registro da movimentação e o pagamento acontecem em prazos diferentes?

Então, para saber como o imposto diferido funciona, acompanhe nosso texto e tire suas dúvidas! 

Adiamento

Os custos ou despesas da empresa contabilizados no exercício, somente serão deduzidos para fins de Imposto de Renda realizados em exercícios posteriores. Considere então, as Normas Brasileiras de Contabilidades (NBC TG 32): existem duas situações que precisam ser consideradas: o passivo fiscal diferido e o ativo fiscal diferido. Veja como eles funcionam: 

Passivo fiscal diferido: é referente ao valor do imposto que será cobrado sobre o lucro futuramente. 

Ativo fiscal diferido: está relacionado ao valor do imposto que será cobrado, levando em consideração o lucro recuperável no futuro. 

Sendo assim, a diferença entre o valor contábil de ativo ou passivo podem ser tributáveis ou dedutíveis.

Para exemplificar, podemos destacar o imposto diferido quando a receita da empresa foi já contabilizada, mas ainda não recebida, como é o caso dos contratos de construção ou o  fornecimento de bens ou serviços disponibilizados a longo prazo. Assim, o imposto diferido não altera o lucro líquido da empresa.

Registro do IR

O Imposto de Renda é aplicado sobre determinadas operações ou investimentos que resultem em lucros para a empresa. Por sua vez, estes podem vir do ativo imobilizado tais como os imóveis ou equipamentos. Além disso, a venda é fracionada em parcelas que podem ser pagas por mais de um ano. 

De acordo com o princípio da competência, se a contabilidade registrou uma receita ou lucro, a despesa de Imposto de Renda deve ser realizada nesse mesmo período, mesmo que essas receitas e lucros tenham a sua tributação diferida para efeitos fiscais e pago em períodos posteriores. 

Desta maneira, o registro do Imposto de Renda precisa ser realizado como crédito. Para isso, registre a provisão para Imposto de Renda Diferido, que é classificado através do Passivo Circulante ou Passivo Não Circulante e registre o débito na conta de despesa de Imposto de Renda no Resultado. 

Contabilização

Para entender melhor, veja as situações que um imposto é diferido: desvalorização cambial, ágio na aquisição de empresas, prejuízos acumulados, perdas em ativos, etc. A importância de considerar o imposto diferido no balanço financeiro está relacionada diretamente em conhecer e acompanhar os resultados.

contabilidade

Por isso, os gestores precisam conhecer os princípios do imposto diferido para que possam interpretar os documentos contábeis de forma correta. Além de auxiliar na tomada de decisão, saber como funciona o imposto diferido também irá melhorar a compreensão e estabelecimento dos limites de gastos, investimentos e as demais operações que forem necessárias. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda