Inspiração e valorização são motores de equipes engajadas

Se o profissional não sabe tudo da parte técnica, ele pode muito bem aprender - mas a inteligência emocional é primordial para que uma equipe cresça

A inspiração para o seu time é um combustível importante para formar equipes de trabalho engajadas. No Direito, não é diferente, ainda que com diversas especificidades. Um segredo para montar equipes jurídicas é conhecer o perfil de cada colaborador.

É preciso analisar cada um a partir de suas características e habilidades, percebendo em qual função desempenhará melhor o seu papel. Não adianta colocar quem não tem habilidade para atendimento nessa função, por exemplo.

Há casos em que a pessoa é hábil para peticionar, mas outra tem habilidade para atender clientes novos, e outras ainda realizam ótimas audiências, e assim por diante.

Temos que ter cuidado para não desprezar alguma pessoa, caso não esteja no lugar em que desenvolverá melhor o seu papel. Por isso, o engajamento está ligado ao exame criterioso do que a pessoa gosta de fazer.

Verificar isso de forma estratégica inclui identificar os vários perfis que podem ser aproveitados na equipe. Na atualidade, uma das melhores características a se manter num time é a alta inteligência emocional.

Se o profissional não sabe tudo da parte técnica, ele pode muito bem aprender – mas a inteligência emocional é primordial para que uma equipe cresça de forma global e obtenha sucesso no longo prazo.

Além disso, analiso sempre a proatividade: pessoas que são ágeis no fazer sem ter a necessidade de toda hora alguém estar mandando. Elas resolvem os problemas de forma rápida e eficaz e, assim, agilizam as questões da equipe.

Características indispensáveis nas equipes

Pessoas flexíveis, que se adaptam de forma fácil a mudanças, bem como as comunicativas, conseguem se relacionar com facilidade com os colegas de trabalho.

Compromisso com horários e prazos representa responsabilidade no ambiente de trabalho e é primordial em toda equipe. Cumprir as tarefas, indo além do que é solicitado, é um passaporte para se destacar e ganhar o coração da chefia.

Isso mostra que o colaborador não está apenas cumprindo tarefas, mas investindo na empresa.

Além disso, humildade é um requisito indispensável, pois permite desenvolver o autoconhecimento. Afinal, o orgulho ofusca a visão do todo e impede a pessoa de pedir ajuda ou mesmo ajudar os outros.

Por fim, a confiança e a lealdade também devem ser analisadas. Por meio delas, a chefia sabe que pode contar com aquele colaborador na equipe.

Valorização da equipe garante sucesso no relacionamento

A capacidade da chefia de ouvir a equipe auxilia na gestão do grupo e da empresa. É fundamental ouvir o colaborador, inclusive as questões que podem não ser positivas.

Esse diálogo também envolve reconhecer o trabalho do colaborador para que se sinta valorizado e seja motivo de exemplo.  Acionar esse mecanismo é uma ótima estratégia por meio de feedbacks mensais.

A concretização de uma relação de sucesso entre empresa e equipe é o reconhecimento financeiro.

Nessa direção, estabelecer um plano de carreira, que apresente um quadro evolutivo dos salários e cargos conforme a performance de cada um é muito enriquecedor para todos. Afinal, não basta apenas cobrar a equipe: é preciso valorizá-la e de fato engajar a todos dentro do escritório.

Por Brisola Advocacia Associados, focada em direito previdenciário, a Brisola Advocacia Associados foi fundada em 2009 com o objetivo de garantir os direitos dos beneficiários do INSS.

Comentários estão fechados.