INSS: Doenças que dão direito ao auxílio-doença

O auxílio-doença é um direito do trabalhador que contribui com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). O trabalhador que sofre algum tipo de acidente seja no trabalho ou não, terá direito ao benefício.

Muitos trabalhadores já deixaram de receber o benefício quando era de seu direito, por não saber que a sua doença fazia parte da lista da Previdência Social.

O auxílio-doença permite que o trabalhador fique um tempo afastado para realizar seu tratamento de saúde, lembrando que este benefício é temporário. No entanto, você não pode ter se filiado ao INSS depois da descoberta da doença. Para ter direito ao benefício, será necessário cumprir uma carência de 12 meses.

Designed by @freepik / freepik
Designed by @freepik / freepik


Não será exigida a carência quando o segurado sofrer acidente de qualquer natureza ou causa e de doença profissional ou do trabalho.


Deste modo, a origem da doença deverá ser de origem traumática e por exposição a agentes nocivos que coloque a saúde do trabalhador em risco. Esta exposição poder: físicos, químicos e biológicos.

Veja a lista de doenças que vão dar direito ao benefício

  • Tuberculose ativa;
  • Hanseníase;
  • Alienação mental;
  • Neoplasia maligna;
  • Cegueira ou visão monocular;
  • Paralisia irreversível e incapacitante;
  • Cardiopatia grave;
  • Mal de Parkinson;
  • Espondiloartrose anquilosante;
  • Nefropatia grave;
  • Estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante);
  • Síndrome da Imunodeficiência Adquirida — AIDS;
  • Contaminação por radiação com base em conclusão da medicina especializada;
  • Hepatopatia grave.

Ao solicitar o auxílio-doença, será necessário que a pessoa passe por uma perícia médica para confirmar o estado de saúde de quem solicitou o benefício. Para solicitar basta entrar no site ou aplicativo Meu INSS, também será possível através da central de atendimento 135.

Documentos necessários para solicitar o auxílio-doença

Documento de identificação oficial com foto e número do CPF;
Carteira de trabalho, carnês de contribuição ou outros documentos que comprovem pagamento ao INSS;
No caso dos segurados empregados: declaração assinada pelo empregador, informando a data do último dia trabalhado;
Documentos comprovando o tratamento médico (atestados, exames, relatórios médicos, receitas médicas, etc).

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Comentários estão fechados.