INSS lança novas regras que podem bloquear benefícios

Quem recebe benefícios por incapacidade poderá ser convocado pelo INSS para uma nova análise

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) irá realizar uma revisão nos benefícios por incapacidade temporária.
O Instituto já está convocando o segurado que precisará passar por uma nova análise. Foram enviadas cartas e aviso de recebimento digital, segundo dados cadastrais de cada uma.

Para isso foram atualizadas as regras de agendamento e da remarcação de exame de perícia médica. Regra também diz que a pessoa que for convocada não comparecer terá seu benefício suspenso ou até mesmo o cancelamento do pagamento.

Quando você recebe a carta do INSS com o aviso de comparecimento para análise, terá 30 dias para agendar a avaliação médica. Neste caso, você deverá entrar no site www.meu.inss.gov.br.

Segundo o Instituto Nacional do Seguro Social informou, há uma previsão de que 170 mil benefícios sejam revistos.
O órgão informou que nos casos em que não for possível o comparecimento da pessoa no dia agendado, será permitida realizar uma remarcação, porém, em uma única vez. Sendo que será preciso justificar e comprovar o motivo do não comparecimento.

Pode acontecer também, do INSS remarcar o dia do exame de acordo com imprevistos técnicos.
O resultado da perícia deverá ser liberado ainda no mesmo dia do exame. Sendo que a consulta poderá ser realizada pela central de atendimento telefone 135 ou pelo site do INSS.

Doenças que podem dar direito a aposentadoria por invalidez (aposentadoria por incapacidade permanente):

  • Tuberculose ativa;
  • Hanseníase;
  • Alienação mental;
  • Esclerose múltipla;
  • Hepatopatia grave;
  • Neoplasia maligna;
  • Cegueira;
  • Paralisia irreversível e incapacitante;
  • Cardiopatia grave;
  • Doença de Parkinson;
  • Espondiloartrose anquilosante;
  • Nefropatia grave, estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante);
  • Síndrome da deficiência imunológica adquirida (AIDS/HIV);
  • Contaminação por radiação, com base em conclusão da medicina especializada.

Comentários estão fechados.