Site icon Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal

INSS libera pagamento de aposentados a partir de 24 de setembro

Designed by @chormail / freepik

Designed by @chormail / freepik

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começa a pagar os aposentados e pensionistas que recebem 1 salário mínimo a partir do dia 24 de setembro. Para quem recebe acima de 1 salário, o pagamento será liberado a partir de 1° de outubro.

Aumento do salário mudará valor dos benefícios

Segundo projeções para 2022, o salário mínimo deverá ficar em R$1.192,40 (esse valor pode mudar até o final do ano). Caso seja confirmado, os segurados do Instituto passarão a receber R$1.192,40 a partir de fevereiro do ano que vem. Já o teto, mudará também o seu valor, passando de R$6.433,57 para R$6.973,99.

Valores dos benefícios

Recebem salário mínimo aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte. O Benefício de Prestação Continuada (BPC) pago pelo INSS, recebe também 1 salário mínimo.

O benefício pago a dependentes de segurados de baixa renda recolhidos à prisão em regime fechado, conhecido como auxílio-reclusão, o salário de contribuição terá como limite o valor de R$1.503,25 (em 2021).

O benefício pago a seringueiros e aos dependentes, com base na Lei nº 7.986/89, em 2021 é de R$2.200,00. A cota do salário-família passa a ser de R$51,27, para o segurado com remuneração mensal não superior a R$1.503,25.

Os aposentados que recebem acima de 1 salário não podem ultrapassar o valor do teto que em 2021 está em R$6.433,57.

Prova de vida

Os prazos de recadastramento em 2021 vão até agosto de 2022 e variam conforme o mês em que a prova de vida venceu ou vai vencer. Por isso, o segurado do INSS precisa ficar atento e não deixar de realizar o procedimento. Não cumprindo o prazo o pagamento poderá ser bloqueado ou suspenso.

Fique atento: em outubro de 2021, será o último mês para quem teria que fazer a comprovação em novembro e dezembro de 2020.​

Calendário de pagamento do INSS
Até um salário mínimo

Acima de um salário mínimo

Sair da versão mobile