INSS negou o seu benefício? Saiba como recorrer!

O benefício do INSS é um direito de todos aqueles que contribuem mensalmente para a instituição. Entretanto, no meio de perícias e documentos, conseguir um auxílio pode não ser tarefa fácil. Segundo o Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), 39,3 milhões de pedidos de benefícios previdenciários foram recusados nos últimos 10 anos,  destes quase 21 milhões foram de auxílio-doença, ou seja, 53,2%.

Segundo a advogada previdenciarista Rogéria Valentim, ter o benefício recusado não significa necessariamente que o trabalhador não cumpre todos os requisitos. “Na grande maioria das vezes o que faz com que o auxílio seja indeferido é a falta de alguma documentação ou até um erro no requerimento do pedido de benefício”, explica Rogéria, que comumente recebe estas demandas.

Fonte: Google
Fonte: Google

Existem dois caminhos cabíveis para recorrer da decisão. O mais simples é entrar com um pedido de recurso através do site do INSS. Após preencher todos os documentos solicitados, há um prazo de 85 dias para uma nova análise. “O preenchimento do formulário de recurso pode parecer simples, mas aconselho aqueles que puderem procurarem a orientação de um profissional previdenciário para que os argumentos estejam de acordo com a legislação”, lembra a advogada.

Se o recurso também for negado, há uma nova chance, sendo realizada em uma segunda instância, direcionada à Câmara de Julgamento.

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Comentários estão fechados.