Uma coisa que sempre buscamos esclarecer em nossos artigos, é que quase todas as questões relacionadas à Previdência podem ser resolvidas pelo próprio segurado.

Saber qual é o seu tempo de contribuição, calcular o valor de um benefício, entrar com pedido de aposentadoria, reunir documentos para comprovação, enfim, com conhecimento e planejamento você vai se sair bem.

A questão é que no Brasil não dispomos de uma cultura previdenciária que nos dê essas ferramentas importantes. 

O primeiro entrave é o conhecimento, ou a falta dele. Além de bastante complexa, a legislação previdenciária sofreu diversas mudanças ao longo dos anos e agora está prestes a mudar ainda mais com a aprovação a Reforma.

Isso gera uma série de possíveis obstáculos a serem superados pelo caminho, em relação ao seu perfil de contribuinte, documentos, acesso aos seus direitos e no cumprimento das obrigações.

Também não é nada fácil superar as exigências que envolvem os trâmites administrativos do INSS. Algumas coisas podem se tornar bem confusas e quase insolúveis.

Quanto mais deixarmos para última hora, mais trabalhoso será. Portanto, o melhor caminho é evitar esses conflitos burocráticos, que podem reduzir o valor e até adiar a concessão do seu benefício. 

Aí entra o planejamento previdenciário. Conhecer seu histórico contributivo, saber sobre seus direitos e estar em dia com suas obrigações é certeza de tranquilidade e segurança.

Construa desde já o seu futuro junto à previdência. Confira as informações que temos para você!

Por que o planejamento previdenciário é importante?

Como falamos lá no início, nada impede você de cuidar da sua previdência por conta própria. Entretanto, muitas questões podem fugir do seu controle e outras podem passar despercebidas.

São escolhas que acompanham o trabalhador desde o seu ingresso no Regime Geral de Previdência Social (RGPS). 

Para se cadastrar no INSS, o segurado precisa escolher o seu perfil de contribuinte, definir o valor da contribuição mensal, estar ciente se sua atividade é especial ou comum. E deve saber que, ao longo da carreira, tudo pode mudar. 

Desde o início, ainda que você não saiba, já está construindo o caminho para seus benefícios futuros. Um período em que não contribuiu ou um tempo de serviço não registrado corretamente pelo INSS pode lhe causar prejuízos. 

Conhecer as modalidades de aposentadoria, seus requisitos e suas vantagens lhe darão o poder de escolher o melhor benefício. 

Em alguns casos, o segurado pode estar contribuindo por mais tempo que o necessário. Em outros, poderia aumentar o valor da contribuição e garantir um benefício maior.

Vamos concordar que cuidar de todas essas variáveis exige grande empenho e pode ser bem complicado para muitas pessoas. 

Não é à toa que o planejamento previdenciário também é um serviço desenvolvido por advogados especialistas em previdência.  

O que é o serviço de planejamento previdenciário?

Em poucas palavras, trata-se de um diagnóstico completo do seu histórico previdenciário, para posterior orientação sobre quais caminhos estão disponíveis.

Um profissional qualificado fará inicialmente o levantamento do seu histórico de contribuições, analisando os documentos comprobatórios e identificando possíveis divergências.

Manter os documentos organizados e os dados atualizados evitará muita dor de cabeça ao segurado, na hora de reivindicar um benefício junto ao INSS.

Mas, não para por aí. Com a casa em ordem, o próximo passo é identificar as estratégias compatíveis com o seu perfil de contribuinte, em busca dos cenários mais vantajosos.

É um trabalho que envolve projeções futuras, portanto, com base nas informações levantadas no histórico do segurado, serão feitos cálculos e simulações diversas.

Levando em conta o tempo necessário para preencher os requisitos obrigatórios, como o tempo de contribuição, idade e carência, é possível detectar quais modalidades de aposentadoria serão mais atraentes e quando cada uma delas estará disponível.

Também é possível estimar valores, assim como realizar um estudo sobre suas contribuições de modo a garantir acréscimo monetário ou evitar recolhimento desnecessário.

Esses são alguns exemplos que destacam o planejamento previdenciário como um diferencial na vida dos segurados.

Importante: 

Embora o planejamento previdenciário seja uma excelente base de consulta para construir seu futuro, vale destacar que ele representa um conjunto de projeções e não certezas. 

Isso porque fatores externos como mudanças de regras e leis podem provocar mudanças.

Quando fazer o seu planejamento previdenciário?

Desde já! Você mesmo pode iniciar esse processo de organização em qualquer tempo. 

Juntar seus documentos, buscar informações sobre sua situação junto à previdência, mantendo seu histórico em dia é algo a se fazer o mais cedo possível. 

No caso, de requisitar ajuda profissional considera-se um bom momento para buscar entre 30 e 35 anos de idade.

Dessa forma, o trabalhador já contará com um histórico significativo, permitindo um estudo mais eficiente e a construção de cenários mais futuros mais consistentes.

Será que vale mesmo investir no planejamento previdenciário?

Ainda que você possa ficar em dúvida em relação ao investimento, a história da previdência brasileira mostra que a falta de planejamento tem prejudicado todos anos milhares de trabalhadores.

São cidadãos que tiveram seus benefícios reduzidos por solicitarem suas aposentadorias antes ou depois do prazo. 

Tem aqueles que não comprovaram a atividade especial por falta de documentos, ou não converteram o tempo especial em comum. 

Muitos trabalhadores efetuam recolhimentos desnecessários, perdendo dinheiro, ou realizam contribuições abaixo do valor mínimo, tornando-as sem efeito para a aposentadoria.

Sem contar as questões mais simples como o uso do código errado na hora de preencher a guia de recolhimento, ou a falta de registro do tempo trabalhado junto ao órgão previdenciário.

Se perguntar aos segurados que tiveram essas ou outras experiências semelhantes, certamente entenderá que o valor investido não será fator determinante para contratar esse serviço.

Reforma da Previdência

Esse é um fator que reforça ainda mais a necessidade de se investir num bom planejamento previdenciário.

A Emenda traz nova fórmula para cálculo do benefício, requisito de idade mínima, fim da aposentadoria por tempo de contribuição, para citar algumas mudanças.

Some a isso às diferentes regras de transição previstas aos segurados que estão na ativa e teremos um cenário ainda mais complexo que o atual.

Previdência complementar 

Essa pode ser uma ótima opção para que o trabalhador possa incrementar seus rendimentos na hora de se aposentar.

Semelhante a previdência do INSS, o beneficiário contribuirá mensalmente por determinado tempo já estabelecido, para que no futuro receba uma remuneração equivalente ao benefício de aposentadoria.

A principal diferença em relação ao sistema público é que nesse caso existe a possibilidade de sacar o valor acumulado, devidamente corrigido, em uma única parcela.

Com o planejamento previdenciário você vai saber como investir na previdência complementar, que pode ser aberta ou fechada.

Em ambos os casos o regime é de capitalização, ou seja, os valores são aplicados no mercado financeiro para ficar rendendo ao longo do tempo.

Diferente do INSS, nesse tipo de regime são criadas contas individuais para cada segurado, assegurando um patrimônio próprio para cada um.

Nos regimes fechados o sistema é patrocinado por entidades de classe e empresas, sem fins lucrativos e com participação voluntária.

Embora opcionais, os regimes fechados são oferecidos a grupos de trabalhadores ligados ao serviço público, a uma classe profissional ou empregados de determinada empresa. 

Já na previdência complementar aberta a administração é feita por instituições financeiras, portanto, é cobrada taxa de manutenção das carteiras individuais dos participantes.

Os regimes abertos estão disponíveis para qualquer cidadão que queira investir, sendo interessante para trabalhadores autônomos, empreendedores e profissionais liberais.

Assuma esse compromisso com o seu futuro

Se você vai planejar sua previdência por conta própria ou vai recorrer ao auxílio profissional, essa é uma escolha sua. 

Porém, esperamos ter deixado claro que o planejamento previdenciário é um processo fundamental na construção de um futuro mais tranquilo e satisfatório.

Você pode iniciar em qualquer tempo, organizando seus documentos e mantendo o controle das suas contribuições. 

Caso opte pelo serviço profissional, o acesso mais preciso às informações, a segurança jurídica e apoio na resolução dos trâmites burocráticos são vantagens indiscutíveis.

As dificuldades que podem lhe gerar muita dor de cabeça, fazem parte do cotidiano desses profissionais.

Pense nisso!

Fonte: CMPPrev

Dica do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social.

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana?

Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática: Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.