Depois de décadas de contribuições o trabalhador, enfim, chega na hora da . Quando ele recebe na sua casa a carta do comunicando que ele já pode sacar o dinheiro, a alegria é tanta que nem confere se está tudo certo. Aí o que seria a realização de um sonho, pode virar um pesadelo.

Depois que o recebe o ele não pode mais voltar atrás?

Não. Quando o segurado recebe a saca o FGTS ou o PIS/PASEP não tem mais volta.

Vai ter que ficar com a que o concedeu para o resto da vida, mas se o trabalhador não receber nada, ele pode até mesmo desistir do concedido e depois requerer outro melhor.

O trabalhador pode receber a e depois pedir a correção de erros do ?

Sim. Nada impede que o trabalhador receba o que foi concedido de forma errada e depois peça na Previdência Social a revisão do valor da aposentadoria.

Para quem está recebendo o , qual é o prazo para pedir a correção?

Dez anos contados a partir do dia seguinte da data em que o segurado ou o dependente começar a receber o .

Este prazo não se aplica para situações que não foram analisadas pela Previdência Social no momento em que o foi concedido.

O que pode estar na e em que o trabalhador deve prestar atenção para não ter prejuízo?

Em primeiro lugar, o trabalhador que se aposenta deve conferir todos os detalhes na carta de concessão/memória de cálculo, que é o documento que ele recebe quando se aposenta.

Caso não tenha este documento, solicite por aqui.

Por este documento é possível ver todos os possíveis erros?

Dá para ver os dados pessoais do beneficiário e do , como o tipo de que foi concedida, os salários que serviram para calcular o da , o fator previdenciário e o tempo de contribuição aceito pelo .

O ideal é solicitar uma cópia do processo no (agende aqui sua cópia) e analisar todos os detalhes. Peça ajuda a um especialista, caso tenha dificuldade.

Quais são os erros mais comuns que podem ajudar a o da ?

  • inclusão de tempo de serviço não computado na
  • troca da por tempo de contribuição em  especial
  • inclusão de direitos conseguidos em reclamação trabalhista

Pelo fato de existir vários tipos de é possível que o segurado tenha direito a mais de uma e neste caso pode escolher a melhor?

A análise da espécie do pleiteado é importantíssima, pois em alguns tipos de não se aplica o fator previdenciário e em outros ele só pode ser aplicado se beneficiar o segurado.

Isso pode muito o do . Eu já vi casos em que o do dobrou.

Hilário Bocchi Júnior – Via G1

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.