Internacional: De acordo com novas regras quem está vacinado não precisa usar máscara

0

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) afirmam que as pessoas totalmente vacinadas não precisam usar máscara quando estiverem ao ar livre, a menos que estejam no meio de uma multidão, como em uma apresentação ao vivo, evento esportivo ou desfile.

As pessoas são consideradas totalmente vacinadas duas semanas após receberem a segunda dose das vacinas Pfizer ou Moderna, ou duas semanas após a dose única da vacina Johnson & Johnson.

“Se você for vacinado, as coisas serão muito mais seguras para você”, disse a diretora do CDC, Rochelle Walensky, na terça-feira em uma reunião na Casa Branca.

“Se você está totalmente vacinado e deseja participar de uma pequena reunião ao ar livre – com pessoas que foram vacinadas e não vacinadas, ou jantar em um restaurante ao ar livre com amigos de várias famílias, a ciência mostra que você pode fazer isso com segurança, sem máscara.”

Como parte da nova orientação, a agência definiu as regras nas quais não há problema em pessoas totalmente vacinadas serem desmascaradas, incluindo:

  • Caminhar, correr, fazer trilha ou andar de bicicleta ao ar livre sozinho ou com membros da sua família;
  • Participar de uma pequena reunião ao ar livre com familiares e amigos totalmente vacinados;
  • Participar de uma pequena reunião ao ar livre com uma mistura de pessoas totalmente vacinadas e não vacinadas;
  • Jantar em um restaurante ao ar livre com amigos de várias famílias.

“Continuamos a recomendar o uso de máscara em ambientes externos lotados e locais como estádios lotados e shows onde há diminuição da capacidade de manter distância física e onde muitas pessoas não vacinadas também podem estar presentes”, disse Walensky.

“Continuaremos recomendando isso até que seja alcançada a vacinação de todos.”

A nova orientação “mostra o quão poderosas essas vacinas são em nossos esforços para acabar com esta pandemia”, disse ela.

Em uma breve aparição no gramado da Casa Branca após o anúncio do CDC, o presidente Biden disse para aqueles que não foram vacinados, ou sentem que não precisam, “este é outro grande motivo para se vacinar agora.”

“Embora ainda tenhamos um longo caminho a percorrer nessa luta”, disse ele, “fizemos um progresso impressionante por causa de todos vocês, o povo americano. Os casos e mortes diminuíram drasticamente de onde estavam quando assumi o cargo em 20 de janeiro e continuam caindo.”

O CDC diz que as vacinas COVID-19 são eficazes na proteção contra doenças, mas recomenda às pessoas a continuarem tomando precauções, uma vez que as autoridades ainda estão aprendendo como as vacinas funcionam para conter a propagação do vírus.

Em ambientes públicos, é difícil saber se outras pessoas ao seu redor foram vacinadas ou se estão sob risco aumentado de COVID-19 grave, então o CDC continua a recomendar que as pessoas totalmente vacinadas sigam as orientações para se protegerem e aos outros, incluindo o uso de máscara, quando em ambiente interno, externo ou local onde as máscaras são necessárias.

Por exemplo, uma cidade ou município pode continuar a exigir o uso de máscara em uma feira livre, uma cerimônia de formatura ou atividades esportivas para jovens.

A agência continua a recomendar que todos, incluindo as pessoas vacinadas, evitem reuniões de médio ou grande porte, visto que as vacinas não são 100% eficazes na prevenção de infecções e há casos documentados de “infecções emergentes”.

Designed by @freepik / freepik
Designed by @freepik / freepik

Além disso, o CDC diz que se você esteve perto de uma pessoa doente e desenvolveu quaisquer sintomas de COVID-19, você deve fazer o teste e ficar em casa.

A agência lista uma série de regras onde o uso de máscara ainda é recomendado para pessoas que estão totalmente vacinadas:

  • Participar de um evento ao ar livre lotado, como uma apresentação ao vivo, desfile ou evento esportivo;
  • Ir ao barbeiro ou salão de beleza;
  • Ir ao shopping ou museu;
  • Andar de transporte público;
  • Participar de uma pequena reunião interna com uma mistura de pessoas totalmente vacinadas e não vacinadas;
  • Ir ao cinema;
  • Assistir a algum culto religioso com o local em sua total capacidade.

Dado que mais de 50% dos adultos nos EUA já receberam pelo menos uma dose, muitos especialistas em saúde pública concordam que é hora de começar a relaxar as restrições, incluindo esta nova orientação para não usar máscara em ambientes externos.

Durante a pandemia, especialistas em doenças infecciosas apontaram que estar do lado de fora traz riscos mais baixos.

“Ao ar livre é mais seguro do que dentro de casa com todo o fluxo de ar natural”, diz a Dra. Judith Guzman-Cottrill, da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon.

Linsey Marr, pesquisador da Virginia Tech que estuda a transmissão do vírus pelo ar e a eficácia da máscara, nota que as evidências indicam há muito tempo que o risco de transmissão em ambientes externos é muito menor do que em ambientes fechados.

“O vírus simplesmente não pode se acumular ao ar livre”, diz Marr. “É como colocar uma gota de tinta no oceano. Se você estiver bem próximo a ela, talvez sinta o cheiro. Mas vai se diluir rapidamente na enorme atmosfera.”

Uma meta-análise publicada no The Journal of Infectious Diseases (Jornal de Doenças Infecciosas) sugeriu que o coronavírus tinha quase 19 vezes mais probabilidade de se espalhar em ambientes fechados do que ao ar livre.

Por exemplo, dados do Centro de Vigilância de Proteção à Saúde da Irlanda, obtidos pelo The Irish Times, analisaram mais de 232.000 casos de COVID-19 naquele país até março; descobriu-se que apenas 1 em 1.000 casos poderia ser ligado à transmissão ao ar livre.

A Dra. Monica Gandhi, especialista em doenças infecciosas da Universidade da Califórnia, em São Francisco, observa que outros países com altas taxas de vacinação não têm autorização para uso de máscaras em ambientes externos.

“Israel divulgou seus mandatos de máscara ao ar livre há cerca de uma semana. O Reino Unido não faz uso do mesmo mandato”, diz Gandhi.

E nos últimos dias, o principal especialista em doenças infecciosas do país, Dr. Anthony Fauci, chamou o risco de disseminação em ambientes externos de “minúsculo”.

Conteúdo traduzido da fonte Wfuv.org por Wesley Carrijo para o Jornal Contábil