Para quem deseja começar a investir, um dos primeiros passos é conhecer seu próprio perfil, pois, dessa maneira, as aplicações em títulos serão mais efetivas.

E fazer isso de maneira segura é possível.

Conhecido por “suitability“, a análise do perfil do investidor identifica as expectativas e a predileção em relação aos investimentos, que pode ser realizada com perguntas básicas como, “quanto deseja investir?”, “por qual período?” e “o que você conhece sobre o mercado financeiro?”

O profissional em investimentos e sócio fundador da iHUB Investimentos – escritório afiliado a XP Investimentos – Paulo Cunha, explica a diferença entre os três tipos mais comuns de perfis.

Conservador

Os indivíduos que se encaixam no perfil conservador são cautelosos, com menor grau de risco possível, pois tem receio da instabilidade financeira.

Para ter uma certa segurança, os valores investidos precisam ter uma maior liquidez, ou seja, um resgate rápido.

Quando tratamos sobre a carteira de investimentos para esse tipo de investidor, podemos destacar a renda fixa, por títulos como CDBs e tesouro direto.

Moderado

Esse perfil também preza pela segurança, porém está disposto a investir em algo mais arriscado.

O investidor moderado conhece um pouco mais sobre o mercado de investimentos, característica que distingue do perfil conservador.

Além disso, há uma melhor aceitação sobre perdas, mas não renúncia à proteção de seu patrimônio.

Os investidores moderados investem nos títulos da renda fixa, mas também na renda variável como fundos multimercados, ações e fundos imobiliários.

Agressivo

Dentre os três perfis, esse é o que mais assume os maiores riscos para ter o máximo de retorno possível, além de ter como prioridade o aumento do patrimônio a longo prazo.

A concentração dos investimentos estão em fundos multimercados, fundos de ações e fundos internacionais.

É importante frisar que o perfil agressivo, dependendo do cenário do mercado financeiro, pode retroceder para os tipos moderado e conservador, por deter um conhecimento maior sobre os investimentos.

De acordo com um levantamento feito pela XP Investimentos, no mês de julho, as segmentações mais recomendadas para a carteiras de investimentos, de acordo com cada perfil de investidor são:

Conservador:  85% em renda fixa, 10% em fundos de inflação e 5% em fundos internacionais.

Moderado: 28,5% em fundos multimercado, 27,5% em renda fixa, 18% em fundos internacionais, 15% em fundos de inflação e 11% em renda variável, segundo a XP Investimentos

Agressivo: 28% em fundos internacionais, 27% em fundos multimercados, 25% em renda variável, 15% em fundos de inflação e 5% em renda fixa.

Por Paulo Cunha é sócio fundador da iHUB Investimentos, empresa especializada em assessoria de investimentos, com mesa de operação atuante em ações, derivativos e câmbio em tempo real.