IOF vem sendo usado para aplicar golpes e ainda utiliza o PIX. Cuidado!

Golpistas se passam como funcionários da Receita Federal.

A população tem que estar atenta para não cair em ciladas. A todo momento, os fraudadores criam novas técnicas para tirar dinheiro de pessoas de boa fé. 

Um dos últimos golpes que vem sendo dado está utilizando o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) como pretexto.  A Receita Federal emitiu um alerta sobre estelionatários que se passam por supostas empresas para condicionar a liberação do crédito ao pagamento antecipado de IOF via Pix.

Segundo o Fisco, os fraudadores fornecem documentos falsos de notificação e de arrecadação que induzem o cidadão a recolher taxas inexistentes para a liberação do dinheiro. A vítima repassa o suposto IOF por meio de transferências Pix para pessoas físicas.

Em comunicado, a Receita Federal informa que jamais fornece dados para recolhimento de tributos ou de taxas via transferência. Segundo o órgão, os servidores do Fisco não prestam serviços de empréstimo à população nem entram em contato para cobrar pagamentos.

Embora alguns tributos possam ser pagos via Pix, a Receita esclarece que o IOF só pode ser quitado por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), pago pela instituição que concede o empréstimo, não pelo tomador. 

Caso a pessoa desconfie ser vítima de um golpe, a Receita Federal orienta que procure imediatamente a polícia, munido de todas as provas possíveis, e registre um boletim de ocorrência.

Golpe do CPF

Outro tipo de golpe envolvendo a Receita Federal é com respeito à regularização do CPF. Os bandidos utilizam o SMS, WhatsApp e e-mail, para induzir a vítima a regularizar sua situação com relação a este documento.

Os golpistas se passam como sendo funcionários da Receita e induzem a vítima a pagar uma taxa para ter o documento regularizado por meio de links maliciosos.  

O golpe é bem feito, pois os fraudadores se utilizam de logotipos e cores da Receita Federal induzindo a vítima a acreditar que é realmente o órgão federal. O método é conhecido como “phishing”, uma tentativa de “fisgar” uma vítima através de falsas solicitações.

O detalhe é que este tipo de serviço é gratuito e feito pelo site oficial da entidade. 

A Receita Federal não envia links aos contribuintes, portanto, todas as operações feitas pelos contribuintes junto a este órgão devem ser realizadas nos canais oficiais do órgão ou por meio do atendimento presencial. 

Pela internet, os cidadãos podem acessar o Centro de Atendimento Virtual da Receita Federal (Portal e-CAC).

Comentários estão fechados.