É importante ficar atento pois a ISO 45001 substitui os demais sistemas de qualidade.

Segundo estatísticas da Organização Internacional do Trabalho (OIT), um trabalhador morre por acidente de trabalho ou doença a cada 15 segundos. No mesmo período, 153 trabalhadores contraem uma lesão de trabalho.

De acordo com os dados coletados em 2017, são mais de 300 milhões de acidentes não fatais, e mais de 2,7 milhões acidentes com mortes por ano.
Isso significa que por dia morrem quase 7.700 pessoas de doenças fatais ou ferimentos relacionados a trabalho.
Na semana passada, foi publicada a ISO 45001. O documento conta com um conjunto de normas para melhorar a segurança no trabalho.
Com a publicação da nova norma, a ideia é que acidentes e doenças em locais de trabalho sejam reduzidos.
Vale lembrar que a ISO 45001 substitui a OHSAS 18001. E que todas as organizações já certificadas na OHSAS 18001 terão até três anos para cumprir a nova norma.
Através de uma forma fácil de ser aplicada em fábricas e instalações de produção, a ISO 45001 fornece uma orientação útil e eficaz.
Pode ser aplicada em fábricas e instalações de produção, independentemente da localização.

COMO MIGRAR

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) disponibilizou o texto da ISO 45001 para leitura.
Já para realizar a migração, o Fórum de Acreditação Internacional (IAF) desenvolveu todos os requisitos para transição para as organizações certificadas, órgãos de certificação, órgãos de credenciamento e outras partes interessadas.
Basta acessar o site www.iaf.nu para maiores informações.

Via Blog Skill

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.