Ator alega que perdeu US$ 28 milhões e que companhia quer hipotecar uma de suas casas.

2016 não foi um bom ano para Johnny Depp. Ele se divorciou da esposa, Amber Heard, após ser acusado de agredí-la; sua participação em Animais Fantástico e Onde Habitam foi motivo de polêmica para muitos, e ele ainda foi considerado o ator menos rentável do ano.

E 2017 já não começou muito bem para o astro. Depp está alegando que a The Management Group (TMG), a quem ele confiara seu dinheiro, o roubou. O ator entrou com uma ação judicial contra a companhia e dois de seus advogados na última sexta-feira, em Los Angeles, por negligência profissional, fraude e violação de contrato.

De acordo com a queixa, a TMG agiu como consultora jurídica, comercial, tributária e contábil de Depp de 1999 a 2016 — tendo coletado US$ 28 milhões em taxas durante esse período, valor que Depp afirma que nunca concordou em pagar. Além disso, o processo ainda diz que a empresa está tentando hipotecar a casa principal do ator por causa de um empréstimo que ele alega que veio da própria companhia de gerenciamento.

“Como resultado de anos de má administração e, por vezes, de fraude, o Sr. Depp perdeu dezenas de milhões de dólares e foi forçado a dispor de ativos significativos para pagar o auto-tratamento e a má conduta grosseira da TMG”, diz a denúncia divulgada pelo Deadline (via Entertainment Weekly). “Em essência, a TMG tratou a receita do Sr. Depp como a sua, disponibilizando-a para a TMG ou para terceiros para ser usada como desejado.”

O processo ainda determina que Johnny Depp só descobriu sobre a conduta da companhia depois que terminou o contrato com TMG e contratou outra empresa de negócios.

Diante disso, o astro de Piratas do Caribe está pedindo por US$ 25 milhões, além de uma ordem de restrição temporária e injunção permanente, o que impediria a empresa de hipotecar a casa.

Michael Kump, advogado da TMG, divulgou uma declaração para o The Hollywood Reporter, afirmando que o processo é uma completa invenção de Depp:

“Por 30 anos, Joel e Rob Mandel, e sua companhia The Management Group, foram gerentes de negócios confiáveis para alguns dos indivíduos e empresas de maior sucesso no setor de entretenimento. Durante 17 desses anos, eles fizeram tudo para proteger Depp de gastos irresponsáveis e extravagantes. Em dezembro de 2012, Depp enfrentou a ruína financeira com a iminente inadimplência de um empréstimo bancário de US$ 5 milhões. Os Mandels o salvaram ao lhe emprestar US$ 5 milhões, que ele prometeu pagar em janeiro de 2014. Apesar de Depp depois ter mudado de gerentes, ele nunca alegou nada de errado. Em outubro de 2016, com Depp ainda devendo US$ 4,2 milhões, a Mandels iniciou processos judiciais não judiciais contra algumas das propriedades da Depp. O processo de Depp, apresentado na véspera da venda dessas propriedades, é uma tentativa transparente de descarrilar a hipoteca ao inventar e espalhar mentiras maliciosas sobre os Mandels. Sua tática e ação vão falhar, e ele será forçado a pagar o empréstimo como prometido.”

Na própria sexta-feira, o divórcio de Johnny Depp com Amber Heard foi finalizado e, de acordo com os documentos, o ator poderá manter todas as suas propriedades imobiliárias.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.