Liberado abono de R$ 2 mil a aposentados e pensionistas do INSS?

0

Apesar de estar esclarecido para parte da população, muitos brasileiros ainda tem procurado informações sobre o abono extra de R$ 2 mil que seria destinado aos aposentados, pensionistas e beneficiários do BPC do INSS.

Realmente existe um abono de R$ 2 mil que vai ser liberado aos segurados do INSS? Como está o andamento do a medida? Será mesmo que o abono vai ser pago? Bem se você também está com essas dúvidas, continue acompanhando!

Abono extra de R$ 2 mil

A ideia do abono extra de R$ 2 mil aos segurados do INSS surgiu por meio de uma Sugestão Legislativa (SUG) de número 15/2020, o autor desta SUG foi Jefferson Brandão Leone, o texto ganhou grande apoio popular desde que foi publicado e inclusive colheu mais de 26 mil assinaturas a favor de sua implementação.

Através da grande repercussão o senador Paulo Paim (PT-RS) recepcionou a medida que atualmente se encontra em trâmite no Senado Federal.

INSS

Como funciona a proposta?

De acordo com o texto da Sugestão Legislativa, o objetivo é implementar um pagamento extra no valor de R$ 2 mil, aos mais diversos segurados do INSS como pensionistas e aposentados. O texto também visa implementar o pagamento do abono ao cidadão que recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Além de ser segurado do INSS outra exigência prevista no texto é a liberação do abono apenas para quem recebe um benefício de até três salários mínimos. A proposta foi desenvolvida com intuito de ajudar os cidadãos durante a crise econômica devido a pandemia.

Quais as chances de aprovação?

Talvez não tenha ficado claro para os cidadãos, mas o texto previa o pagamento do abono durante o período de calamidade pública, porém o de calamidade pública se encerra na próxima semana, 31 de dezembro.

Sendo realista e indo direto ao ponto, não, não há chance alguma deste projeto ser aprovado. Primeiro ponto a se atentar é que o texto ainda é uma Sugestão Legislativa ao qual, desde o dia 15 de julho não houve qualquer interação entre os parlamentares com a medida.

Um outro ponto é que ao SUG não chegou nem a se tornar um Projeto de Lei para que pudesse ser votado pela Câmara e pelo Senado. Logo não se deve contar com este projeto.

O cidadão que queira consultar o andamento da Sugestão Legislativa poderá acompanhar por meio do site do Senado Federal clicando aqui.

Com isso o cidadão brasileiro segurado do INSS não deve contar com uma medida que não ganhou força e apoio político para que pudesse seguir adiante, pois a mesma infelizmente não sairá do papel e não deve ser liberada.