Lista de erros para não cometer no Mercado de Investimentos em 2021

0

Em 2020, apesar da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), o mercado de investimentos seguiu em alta, sendo uma ótima opção para todos, tanto aos que foram como aos que não foram atingidos durante esse período.

Além disso, investir no mercado financeiro tem sido cada vez mais acessível e simples para qualquer pessoa, já que hoje a internet dispõe de uma vasta quantidade de informações para quem quer dar início a realização de aportes de capital.

Porém, é comum encontrar investidores cometendo uma série de erros banais quando dão seus primeiros passos no mercado financeiro. Pensando nisso, o investidor profissional (CNPI-T) Rodrigo Cohen lista a seguir os três erros mais frequentes que podem fazer até os investidores mais experientes perderem muito dinheiro.

“Tais erros se baseiam no que o Dr. Alexander Elder, autor dos livros sobre trading mais vendidos no mundo, classifica como os pilares do trader de sucesso”, comenta Cohen. “São os chamados 3M’s: Method (Método), Money (Manejo de risco) e Mind (Mente). Para que seu investimento seja de sucesso, é necessário que esses três pilares estejam em completa harmonia, a fim de minimizar as perdas e maximizar os ganhos”, complementa.

Entenda melhor sobre esses erros a seguir:

1º erro – Method (Método)

Existem muitos métodos na hora de investir no Mercado Financeiro, entre eles o Day Trade, a chamada especulação, onde o trader acompanha as transações do dia para saber se determinada ação pode crescer mais ao longo do dia, obtendo vantagens das oscilações de preço.

“É um método geralmente usado pelos mais experientes, que fazem a chamada tape reading (leitura do fluxo), acompanhando os big players, para obter lucros em um curto espaço de tempo”, explica Cohen. 

Porém, ele alerta: “Quando os menos experientes se aventuram no Day Trade, o grande problema deles é acharem que ele é a mina de ouro dos ganhos rápidos. É pensando dessa forma que eles perdem dinheiro. Esse método, infelizmente, é para poucos. Mas, ainda assim, é mais uma fonte de renda como qualquer outra na bolsa de valores”.

O importante é que o investidor que optar por utilizar este método saiba que também existem outras modalidades a serem utilizadas e não apenas ela. E devem ter muito cuidado. “Se for investir em Day Trade, invista pouco dinheiro. Não se arrisque. Se você ganhar muito investindo pouco, ótimo! Mas, se perder, não fará tanta falta no final”, completa Rodrigo.

Outro método muito utilizado é a Análise Gráfica, também conhecida como Price Action, que consiste em estudar o preço dos ativos ao longo do tempo, por meio de gráficos, para identificar as tendências do mercado. Muito parecido com ela, o método da Análise Técnica se baseia nos mesmos princípios, mas também se utiliza de indicadores e setups (gatilhos).

O grande problema aqui gira em torno do fato de que muitos investidores, infelizmente, ao se basearem em uma metodologia única, acabam por não respeitar as outras, criticá-las e se fechar em suas próprias convicções, o que os induzem ao erro na hora de investir. Outro caso que também leva a perda de dinheiro é quando o trader começa a adaptar ou recriar métodos.

Designed by @rawpixel.com / freepik
Designed by @rawpixel.com / freepik

“Tudo o que existe no mercado funciona, caso contrário não existiria. Se você não utilizar tudo o que estudou sobre investimento ou começar a querer ‘reinventar a roda’, não vai funcionar. Este é um dos maiores erros do trader na hora de investir. Os métodos devem ser respeitados”, comenta o investidor profissional.

2º erro – Money (Manejo de risco)

Este é um dos pilares mais importantes. Baseando-se no método escolhido para investir e de acordo com o capital alocado, é fundamental que o investidor determine e limite qual porção será colocada a risco em cada operação. Fazer o gerenciamento de risco para minimizar as perdas e conservar os ganhos é a melhor forma de ganhar dinheiro a longo prazo.

“Operar acima do que pode vai fazer com que o método se perca e o mindset, que vamos falar a seguir, também. Respeitar o gerenciamento de risco é fundamental para o sucesso do investimento”, explica o especialista.

“É necessário que o investidor estude e entenda com quanto pode entrar em determinado investimento, pois quem tem conhecimento sempre está à frente. Um gerenciamento de risco mal feito, seja no plano de meta que ele não seguiu ou na quantidade de lotes ou dinheiro que ele deu a mais do que poderia realmente no momento do investimento, pode colocar tudo a perder”, reverbera.

3º erro – Mindset (Mente)

De nada adianta ter um bom método e um bom gerenciamento de risco se o investidor não focar a sua mente e ficar nervoso na hora de operar. As emoções influenciam diretamente no sucesso das operações.

É necessário compreender os mecanismos e criar um sistema de condicionamento mental para se livrar ou, pelo menos, saber lidar com as emoções que podem colocar os investimentos em risco.

“O investidor tem que estar bem, tranquilo e concentrado na hora de operar. Ele tem que saber que merece o dinheiro que está colocando naquela operação. É necessário condicionar a mente para lidar bem com as perdas, para que ele não entre no que chamamos de ‘tilt’, que é quando se perde totalmente o controle de sua mente. O investidor precisa entender que se hoje ele perder, amanhã ou em outro momento ele vai ganhar. Além disso, ter foco é fundamental. Se ele estiver 100% focado no que está fazendo, não tem jeito dele não ganhar dinheiro”, fala Rodrigo Cohen.

Seguindo essas dicas, todos que querem investir no Mercado de Investimentos vão obter sucesso na atividade e ganhar muito dinheiro no ano que está por vir. “Se utilizando das técnicas da maneira correta e tendo um bom gerenciamento de risco, em que você não fique nervoso e opere de maneira satisfatória, não há como não obter sucesso e ganhar dinheiro. Esteja feliz com o que está fazendo, focado e em um ambiente agradável que o ganho será inevitável”, finaliza.

Rodrigo Cohen é formado em engenharia elétrica/computação, Rodrigo Cohen virou trader em tempo integram em 2013, quando tirou seu certificado de analista técnico de investimentos e entrou para o mercado financeiro em 2000.