As agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) já estão reabertas para atendimento presencial. Os cidadãos que estão com pensões e aposentadorias suspensas podem regularizar o processo por meio dos atendimentos.

Com o retorno presencial do INSS, estima-se que boa parte da fila de espera para a concessão de benefícios seja finalizado.

Segundo o INSS existe um atraso no processo de validação da documentação dos cidadãos, sendo essa etapa onde aconteceram o maior número de erros. 15,4% dos segurados estão com seus benefícios travados por causa de erros em seus documentos.
Só nos meses de janeiro e março cerca de 1,2 milhões de pedidos foram negados.

Segundo o INSS, o motivo para as solicitações não terem sido aprovadas foi por causa da invalidade dos registros enviados na forma de formalizar a liberação do benefício.

Só para ter uma ideia, no caso do auxílio doença, por exemplo, muitos estavam anexando os documentos com o prazo de validade vencido ou então sem contemplar todas as regras exigidas pelo instituto. Ocorreram também erros simples como troca de dígitos do CPF, incompatibilidade de endereço, entre outras coisas.

Motivos que levam o benefício ser negado pelo INSS

  • Dificuldade para comprovar as contribuições
  • Incorreções nos cadastros do governo e na documentação do segurado
  • Registros em carteira não estão no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) ou estão marcados de forma incorreta.Empresa não repassou contribuição ao INSS ou forneceu dados incorretos
  • Empresa não deu baixa na carteira após a demissão e o vínculo empregatício ainda está ativo – INSS não considera esses registros para conceder aposentadoria
  • Empregador não informou corretamente a atividade insalubre.


Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil