Livro Caixa: o que é e quem deve fazer?

0

Ter controle do faturamento, vendas, valores em caixa, assim como as demais informações do empreendimento, garante uma boa gestão e auxilia na entrega das obrigações das empresas.

Essas informações podem ser registradas em livros contábeis, inclusive, alguns são obrigatórios por lei e precisam ser escriturados por um contador.

Por isso, saiba que existem diferentes tipos de livros contábeis que devem ser conhecidos pelas empresas brasileiras. Dentre os principais estão: 

  • Livro Diário; 
  • Livro Razão;
  • Livro de Registro de Inventário;
  • Livro de Registro de Prestação de Serviços;
  • Livros auxiliares ou Livros Fiscais;
  • Livro Caixa; 

Neste último são registradas todas as operações relacionadas à entrada e saída de dinheiro da empresa. Sua elaboração ajuda na efetivação da Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC).

Diante disso, hoje vamos falar sobre as características do Livro Caixa e a sua importância, para que você possa entender como elaborá-lo  sem erros que possam resultar em problemas fiscais. Então, acompanhe! 

Quem deve fazer o livro caixa?

Este livro pode ser utilizado por empresas de qualquer porte, pois, através dele é possível fazer o devido controle dos fluxos monetários. Estão obrigadas a fazer o Livro Caixa as seguintes empresas:

  • Enquadradas no regime tributário Simples Nacional, que têm uma receita bruta anual de R$ 4,8 milhões; 

Informações do livro

Para começarmos a escriturar o Livro Caixa anote todas as entradas e saídas financeiras, registre os recebimentos, pagamentos e demais atividades.

Isso facilita no desenvolvimento do livro, mas não se esqueça de incluir ainda as seguintes informações:

  • data, 
  • histórico, 
  • entradas,
  • saídas,
  • saldo total

Para saber o saldo final, utilize a seguinte fórmula:

saldo anterior + recebidos – pagamentos= saldo atual

Escrituração

Para fazer o Livro Caixa é preciso saber que existe três partes principais: termo de abertura; folhas de escrituração e termo de encerramento. Vamos entender cada um deles?

Termo de Abertura: se refere à parte inicial do Livro Caixa, onde é preciso registrar a finalidade do documento, incluindo o nome da empresa; endereço completo e CNPJ. Lembre-se ainda de informar o número de folhas e a data e o gestor ou responsável deve assinar esse documento;

Folhas de Escrituração: nesta parte são informados os valores referentes às entradas e saídas de capital. Não se esqueça de registrá-las por data e de forma individual;

Termo de Encerramento: nesta página é necessário reafirmar os dados que foram inscritos na página inicial, assim como a data e assinatura do responsável, que são informações muito importantes para garantir a regularidade deste documento.

Para a escrituração, se atente ainda aos seguintes detalhes: 

  • O livro-caixa deve conter um termo de abertura e um de fechamento;
  • Não podem haver nem linhas em branco e nem rasuras;
  • Todas as páginas devem ser numeradas;

Para garantir a organização do Livro Caixa, faça cada registro de forma cronológica, o que irá facilitar na hora de verificar as transações feitas pela empresa.

Além disso, coloque cada operação em uma linha, para que elas fiquem separadas, o que irá melhorar a visualização de cada uma das movimentações. 

Atualmente, também existem softwares de gestão financeira para facilitar esses procedimentos através do registro imediato de entradas e saídas, em conta ou notas fiscais emitidas pela empresa.

Essa é uma boa opção para garantir a gestão financeira da empresa. Mas, as empresas individuais e de pequeno porte podem ainda utilizar planilhas ou contar com o apoio de um profissional contábil para te auxiliar nestes registros. 

Vantagens

Através do Livro Caixa o gestor da empresa pode acompanhar todos os registros de caráter econômico e financeiro, a fim de saber como está a saúde financeira  do empreendimento.

Assim, é possível fazer um planejamento financeiro mais assertivo e contar com as seguintes vantagens de manter a escrituração em dia:

  • Controle financeiro e econômico;
  • Detalhadamente dos dados financeiros apurados, seja diário, mensal ou anual;
  • Reduz dos riscos de aplicação de multas por parte do fisco, com a certeza de que tudo está sendo feito conforme a legislação vigente;
  • Melhoria da gestão e tomada de decisão.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.
Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda