Lucratividade e Rentabilidade: Saiba como calcular

0

Se você está aproveitando esse período de crise gerada pela pandemia do novo coronavírus para investir em um negócio próprio, deve se capacitar para tal. É comum que o empreendedor novato seja tomado por dúvidas.

Neste artigo, o Blog FoxManager quer esclarecer para você a diferença entre lucratividade e rentabilidade. Além de lhe ensinar como calcular as duas coisas por meio de uma simples fórmula.

Primeiramente, a lucratividade e rentabilidade servem para coisas distintas. E só há uma maneira de conhecer sua rentabilidade e sua lucratividade: ter um bom controle contábil por meio do DRE, ou Demonstração de Resultado da Empresa.

Em segundo, as duas coisas ainda que diferentes servem para analisar os ganhos que seu negócio vem obtendo ao longo de sua existência.

Ainda que, cada uma sirva de demonstrativo para diferentes análises. Uma sobre o lucro e outra sobre o retorno do seu investimento na empresa.

O lucro líquido

É importante o empreendedor dominar certos aspectos da contabilidade se não quiser ter dor de cabeça posteriormente. Uma das lições mais básicas parte da premissa de conhecer o lucro líquido da empresa.

O lucro líquido é “o livre”, ou “o limpo”, dependendo da região do Brasil onde você esteja lendo isso.

Representa o que a empresa conseguiu após cumprir com suas obrigações envolvendo os custos fixos (salário, encargos trabalhistas, aluguel, contas de energia, internet e etc) e as despesas variáveis (comissões sobre vendas, insumos, valores sobre frete e logística de entrega e taxa de juros, por exemplo).

Se você é um empreendedor do ramo do varejo, vamos supor que seu negócio tenha obtido lucro bruto de R$ 15 mil. Deste valor, você pagou R$ 10 mil entre custos fixos e despesas variáveis. Isso significa que o seu lucro líquido foi o equivalente a R$ 5 mil.

O que é lucratividade

A lucratividade é uma relação percentual entre o total da receita da sua  empresa e o lucro líquido que ela obteve dentro de um certo período. Para cada real que você vendeu, você ganhou um certo valor.

Esse período pode ser calculado dentro de um mês ou numa breve temporada de alto volume de compras, como datas comemorativas, por exemplo, o natal, o dia dos namorados, o dia das crianças, o dia dos pais, o dia das mães, a páscoa e o carnaval.

Dessa maneira, podemos afirmar que a lucratividade é uma medida de associação entre o lucro líquido e a receita total. Ela é usada para representar o ganho da empresa em relação a atividade econômica que ela exerce. Se for uma prestadora de serviço, quantos ela foi capaz de realizar em um mês, e se for do ramo do varejo, quantas vendas ela conseguiu fazer nos últimos trinta dias.

Logo, a lucratividade é responsável por demonstrar qual foi o resultado obtido do trabalho exercido e quanto de lucro foi gerado. Assim, ele acaba funcionando como um ótimo indicador de eficiência. Seu negócio é capaz de gerar lucro após pagar todos os gastos inerentes à atividade empresarial?

Tomada de decisão

É com essa porcentagem em mãos que o empreendedor pode fazer a tomada de decisão correta em relação à sua empresa em comparação ao ramo em que ela atua, bem como, tomar uma atitude sobre sua margem de lucro.

Por acaso, se você trabalho no ramo hoteleiro, já tem ideia de quais são os períodos de alta temporada. A lucratividade pode lhe dar um norte na precificação das suas hospedagens, e ainda se preparar para os momentos de baixa temporada, onde a margem de lucro é menor.

Fórmula para calcular a lucratividade

Uma maneira muito prática e rápida de conhecer a lucratividade do seu negócio é utilizar uma fórmula básica. Ela consiste aqui em dividir seu lucro líquido pela receita bruta total da empresa e multiplicar o resultado por 100.

Essas informações devem estar disponível no DRE. Um bom sistema ERP é capaz de produzir um DRE consistente de maneira rápida e eficaz.

Portanto, vamos supor que em um mês sua empresa obteve um lucro líquido de R$ 35 mil e uma receita total de R$ 1 milhão, isso significa que a lucratividade dela é de 3,5% ao mês, por exemplo.

Analisando de maneira prática isso significa que para cada R$ 100 de vendas realizadas pela empresa, há um retorno de R$ 3,5.

De acordo especialistas financeiros, uma boa lucratividade gira em torno de 5% a 10% ao mês.

  • 35.000 ÷ 1.000.000 = 0,035
  • 0,035 x 100 = 3,5%

Rentabilidade

Em comparação a lucratividade, na rentabilidade tem-se uma proporção diferente, pois seria o montante que você e seus sócios investiram na empresa e a lucratividade que o negócio que teve de retorno ao mês.

Ou seja, enquanto a lucratividade relaciona o lucro líquido mensal da empresa com a receita total do negócio, a rentabilidade por sua vez associa esse mesmo lucro líquido ao valor total investido no negócio. Isso dá uma ideia sobre qual rentabilidade que você está tendo a cada mês, semestre ou ano, e em quanto tempo você terá de volta o valor investido.

A rentabilidade não é apenas aquela aplicação em ativos de fundos de investimento como a taxa Selic, tesouro direto, CDB ou ações na bolsa de valores da B3 que você realizou, e que ganha um valor sobre uma periodicamente.

O cálculo dela também tem como objetivo esclarecer o dono, e seus sócios, se for o caso, sobre a continuidade do investimento em um negócio, ou não.

Isso porque, ao analisar a rentabilidade do negócio, o empreendedor deve ter em mente que seu investidor, ou sócio deverá levar em conta a inflação real e o contexto econômico que o país enfrenta.

Para se ter uma ideia, a inflação média foi de 10% em todos os custos apenas no ano de 2019.

Assim, por mais que você tenha ganhos de 6% ou 6,5% ao ano, ela não supera a perda que você teve no poder aquisitivo.

Ou seja, a quantidade de insumos que seu negócio era capaz de comprar com R$ 100 no ano passado, hoje é impossível adquirir com a mesma quantia. Isso é um exemplo de perda de rentabilidade, seu poder de compra.

Fórmula para calcular a rentabilidade

Para você conhecer de fato qual o percentual de rentabilidade do seu negócio é necessário que, também por meio do DRE, o empreendedor divida o lucro líquido obtido em um mês pela empresa pelo montante total investido no negócio, e multiplicar o resultado por 100.

Desta vez, vamos supor que seu negócio tenha obtido um lucro líquido de R$ 8 mil por mês e um total de investimento de R$ 600 mil . A porcentagem de rentabilidade da empresa é de 1,3%. Um bom índice de rentabilidade gira em torno de 2% a 4% ao mês, segundo especialistas de investimento financeiro.

  • 8.000 ÷ 600.000 = 0,013
  • 0,013 x 100 = 1,3%

Retorno da rentabilidade

Com essa mesma fórmula você também calcula o tempo que terá o retorno financeiro do investimento de sua empresa.

Por exemplo, com os dados descobertos acima, se o empreendedor colocar 100 (representando o total de investimento) e dividir por 1,3%, ele saberá que em 76,9 meses ele terá o retorno.

  • 100 ÷ 1,3 = 76,9

Conclusões

Em resumo, é necessário que o empreendedor possua plena consciência sobre este conceito para tomar decisões. Mais ainda se ele contar com o aporte financeiro de sócio ou investidores aos quais terá de prestar contas.

Como dito anteriormente, se o tempo de retorno for muito longo como exposto no exemplo anterior, isso significa que a continuidade da empresa pode não ser um bom negócio para as partes envolvidas.

Por fim, o ideal é buscar uma assessoria contábil e melhorar a gestão financeira, de forma que aponte a maneiras de encurtar o retorno do investimento.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: O primeiro passo para contadores Curso sem enrolação, totalmente prático, você vai aprender todos os processos que um contador experiente precisa saber. 

Aprenda como abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs. Tenha todo o conhecimento sobre Contabilidade, Imposto de Renda e muito mais. 

Está é uma ótima opção para quem deseja ter todo o conhecimento que um bom contador precisa ter, quer saber mais? Então clique aqui e não perca esta oportunidade que com certeza vai impulsionar sua carreira profissional!

Fonte: FoxManager