A nova fábrica de celulose solúvel da LD Celulose – joint venture formada entre a Duratex e o grupo austríaco Lenzing – será implantada entre os municípios de Araguari e Indianópolis, no Triângulo Mineiro, próxima a área de plantio da empresa. O projeto prevê a construção da maior linha industrial da celulose solúvel do mundo e receberá investimentos na ordem de US$ 1 bilhão. As obras estão previstas para começar em agosto, conforme informado na sexta-feira (31) pelo governador Romeu Zema (Novo).

Durante entrevista para detalhar a privatização de rodovias em Minas, Zema falou sobre empreendimentos que a atual gestão está atraindo para o Estado, citando a unidade da LD Celulose. O governador informou que a nova indústria vai gerar cerca de 6,5 mil empregos. Segundo ele, o trabalho árduo do governo deixa o investidor confiante de que as regras serão aceitas e transparentes. “Com esse programa (de privatização de rodovias) damos mais um passo importante para essa competitividade”, disse.


De acordo com informações da LD Celulose, as obras de terraplanagem da unidade devem começar em agosto. A conclusão da planta está prevista para 2022, quando a produção terá início. Durante a construção da fábrica, haverá um pico de 6.500 contratações. Já na fase de operação serão gerados 1.040 empregos diretos.

A unidade terá capacidade de produção de 450 mil toneladas/ano de celulose solúvel. O processo prevê ainda a produção de 77 Megawatts médios de energia elétrica renovável, por meio da biomassa de madeira.

Matéria-prima para a indústria têxtil, a celulose solúvel produzida pela unidade da LD Celulose em Minas será totalmente destinada à exportação e vendida para Lenzing para suprir suas operações principalmente na Ásia.

As áreas de plantio da empresa em Minas Gerais estão situadas em área de cinco municípios do Triângulo Mineiro: Indianópolis, Araguari, Estrela do Sul, Nova Ponte e Romaria. E essa área florestal representa uma parte importante do investimento da Duratex no negócio, mas a companhia também fará desembolso financeiro. A Lenzing tem 51% de participação na joint venture LD Celulose, enquanto a Duratex responde por 49%.

Em junho de 2018, foi anunciado o investimento de US$ 1 bilhão em Minas para a construção da linha industrial da celulose solúvel. Na ocasião, a Duratex – maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul – informou sobre sua entrada no segmento de celulose solúvel, em parceria com o grupo Lenzing. A junção Duratex/Lenzing foi autorizada pelos órgãos competentes no Brasil e na Europa e formou a LD Celulose, que tem como objetivo operar na produção da celulose solúvel.

Cecrisa – A empresa Duratex irá atuar em Minas também com a aquisição, anunciada no último dia 22, da Cecrisa, produtora brasileira de revestimentos cerâmicos e detentora da marca Portinari. A operação, com investimento de R$ 539 milhões, está sujeita à aprovação do Cade. Uma das três unidades fabris da Cecrisa está em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. As outras duas estão em Criciúma(Santa Catarina).


Fonte: Diario do Comércio