Mapa mental colabora para a continuidade do negócio

Ferramenta auxilia a organização das informações necessárias para o planejamento de abertura, crescimento e propósitos da empresa

Ter um plano de negócios tem ajudado os gestores administrativos nas etapas de abertura, expansão e tomada de decisões na empresa, mostrando qual é a viabilidade de cada projeto. No Brasil, sétimo país com o maior número de empreendedores no mundo, segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) divulgada em março deste ano pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a ferramenta se mostra necessária para a estruturação de uma parte relevante da economia.

O levantamento da GEM identificou que o número de negócios no Brasil com idade média de 3,5 anos aumentou 1,2% em 2021 na comparação com o ano anterior. Desta forma, o país avançou seis posições no ranking global de empreendedores, indo da 13ª para a 7ª colocação.

Embora os dados revelem que boa parte dos empreendedores brasileiros ainda busca o empreendedorismo por necessidade (48,9%), o aumento de negócios com idade média de 3,5 anos mostra que os empreendimentos seguem ativos. A continuidade no mercado indica a possibilidade de crescimento, geração de empregos e renda.

Em números, a pesquisa mostra que cerca de 14 milhões de empreendedores estão à frente de negócios com idade média de 3,5 anos no país, o que corresponde a quase 10% da população nacional adulta. A taxa está atrás apenas dos resultados verificados na Coreia do Sul (16,4%), na Grécia (14,7%), na Guatemala (12,7%), no Cazaquistão (12,1%), na Polônia (11,1%) e na Turquia (11%).

Importância do plano de negócios

O plano de negócios pode ser o diferencial para a continuidade das atividades empresariais. O Sebrae esclarece que o documento colabora na organização de ideias para a abertura do empreendimento, a orientação dos projetos de expansão e o apoio à gestão no dia a dia.

Por meio dele, o empresário traça e destaca as informações necessárias sobre estratégia, mercado e objetivos que irão nortear as ações da empresa, reduzindo os riscos e ampliando as chances de sucesso.

Para desenvolver o plano de negócios, o empreendedor pode usar o mapa mental, ferramenta visual que auxilia na organização dos pensamentos e pode ser estruturada on-line. Na prática, o gestor traz uma informação central que desencadeia uma série de outras ideias de maneira ordenada.  

Como desenvolver o mapa mental para o plano de negócios

Os mapas mentais trabalham o conceito de arquitetura da informação. Como utilizam o recurso visual e podem ser criados on-line, facilitam a apresentação e a discussão de ideias entre a equipe, seja no trabalho presencial ou remoto.

Além da criação do plano de negócios, os mapas mentais também costumam ser usados para a realização de brainstorming, gerenciamento de tempo, desenvolvimento de pesquisas, dentre outras atividades.

No caso do plano de negócios, é recomendável que o gestor se atente a algumas informações específicas. O Sebrae elenca a necessidade de informar o que é o negócio, quais são os principais produtos e/ou serviços, o público-alvo, os recursos investidos, a estimativa de lucro e o prazo previsto para o retorno dos investimentos.

A partir das informações iniciais, serão realizados análise de mercado, planos de marketing, operacional e financeiro e a avaliação estratégica da empresa. Depois de pronto, o plano de negócios irá nortear a tomada de decisões dos gestores em diferentes fases, da abertura à expansão, passando pelos projetos do dia a dia.

Comentários estão fechados.