MEI: Empreender se tornou alternativa para o desemprego

Abrir negócios como MEI tem se tornado uma das principais formas empregatícias no país e já atinge quase 11 milhões de profissionais

0

Com as altas taxas de desemprego e crise econômica atingindo o país, empreender como MEI tem se tornado uma das alternativas principais para se ter uma nova renda no Brasil.

Segundo dados do Portal do Empreendedor, o país possui hoje mais de 11 milhões de microempreendedores individuais (MEIs).

Mas é importante lembrar que, ao abrir uma empresa, além de saber os motivos e vantagens de ter o próprio negócio, a pessoa também precisa entender quais são seus direitos e deveres.

Para Alexandre de Carvalho, contador há mais de 20 anos e um dos sócios fundadores de Easymei, aplicativo de auxílio e gestão para microempreendedores individuais, “os principais motivos para você tirar seu projeto do papel são a independência financeira, flexibilidade e trabalhar com algo que sempre sonhou”, explica.

Independência Financeira:

Apesar de exigir certo tempo para acontecer no empreendedorismo, ter independência financeira é não ter um limite de ganhos.

Seu negócio pode te gerar lucros que há tempos você almeja.

Flexibilidade:

Tão sonhada por muitas pessoas, a flexibilidade de horários significa poder escolher quando e como se dedicar ao negócio.

Controlar o próprio tempo é uma vantagem para qualquer empreendedor.

Trabalhar com o seu sonho:

Amar uma área e uma profissão é o que leva muita gente ao empreendedorismo.

Isso porque quando alguém abre o próprio negócio, está se dedicando ao sucesso da maneira como sempre desejou.

Hoje, o MEI é a porta de entrada para o empreendedorismo no país.

E por isso, é importante saber que há regras para se formalizar, cobrança de imposto mensal e obrigatoriedades para não perder seu CNPJ.

“Tenha em mente que este é um mercado em ascensão no Brasil e que há um mundo de possibilidades profissionais. A formalização sempre é o melhor caminho e o MEI pode ser uma alternativa ao desemprego, uma renda extra”, explica o contador.

CLT

Regras para se formalizar:

Para conquistar o direito de ter um CNPJ e emitir notas fiscais, o MEI deve se enquadrar nas atividades permitidas pela legislação, ter faturamento de até R$ 81 mil ao ano, ter no máximo um funcionário e não participar de outra empresa.

Direitos:

Algumas das vantagens de ser MEI são o auxílio doença, caso sofra algum acidente ou venha a adoecer; auxílio maternidade e recurso emergencial.

Além disso, o profissional pode criar novas oportunidades de trabalho, podendo vender e prestar serviços para empresas e também participar de licitações do Governo.

Deveres:

Os principais deveres do MEI é o pagamento da guia mensal DAS, no valor de R$ 53,25, podendo chegar a R$ 58,25 dependendo da atividade e entrega da Declaração Anual ao Governo, semelhante ao imposto de renda.

Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática.

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. 

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Sobre o Easymei: Fundada em 2020, a startup disponibiliza uma plataforma de auxílio e gestão para microempreendedores.