Mentor de alta performance: Conheça alguns tópicos sobre tudo o que envolve esse universo

0

No momento atual, muito se fala sobre Mentoring, mentoria e mentor de alta performance. Mas será que todo mundo entende do que se trata? Vou até mais além: sabe como um profissional que atua nesse segmento pode ajudar?

Para te ajudar, separei alguns tópicos sobre tudo o que envolve esse universo.

O que é o mentor?

É um profissional que te ajuda a alcançar seus objetivos, com processos e ferramentas, a partir da sua experiência profissional e pessoal.

O mentor é quem te acompanha e te ajuda a seguir um caminho para um objetivo, e ele conhece muito bem o que vai permitir te ajudar com os passos e clareza para você atingir o seu objetivo, usando a sua experiência.

Afinal, ele já vivenciou a mesma “dor” que o mentorado e pode, com isso, conduzir com mais assertividade quais serão os próximos passos, para que seja possível alcançar a tão sonhada alta performance.

O que é mentoring?

É uma expressão em inglês que significa mentorando, “dar mentoria” ou simplesmente mentoria. Também é conhecido pelo processo de acompanhamento que o mentor faz com o mentorado, clientes individuais ou organizações.

O que é alta performance?

Eu gosto de dizer que é esticar a corda, ultrapassando o limite imposto pela mente. É dizer não para o impossível.

É viver sempre acima do esperado e levar o mentorado além da ilusão da mente, acerca do que ele é e o que pode. Enfim, é aumentar a capacidade de entrega e mudar o mindset.

E o que é mindset?

É uma palavra em inglês que significa modelo mental. E qual seria a ligação dessas quatro palavras com a realização profissional e pessoal? 

No meu trabalho específico, a mentoria de alta performance em mindset milionário é aquilo que eu acredito que possa transformar a vida de milhões de pessoas.

Afinal, pessoas mais realizadas criam ambientes mais agradáveis, e bons ambientes geram bons resultados tanto para o crescimento social e econômico. Todo esse cenário colabora para um mundo mais próspero, feliz e justo.

Quando se fala de sucesso, a tendência é relacionar trabalho e profissão. Mas em termos de carreira, eu encaro o sucesso como algo mais expansivo. Eu vejo como um objetivo a ser cumprido.

Como terapeuta há quase 25 anos, para mim o maior objetivo a ser cumprido é o de estar vivo. Este é o maior objetivo dos seres vivos e isto está diretamente relacionado com o processo de nascimento.

A busca pelo sucesso começa com o embrião desde o momento da concepção, passando pela gestação e desaguando no nascimento, primeiro grande sucesso do ser humano. O processo de nascimento é um dos mais duros que a espécie humana passa e é normal que ninguém reflita sobre isso.

Designed by @nensuria / freepik
Designed by @nensuria / freepik

É o processo de maior medo, em que há necessidade de tomadas de grandes decisões e principalmente de desapego, de deixar o útero materno e se lançar em direção ao desconhecido e ao novo, e quando isso acontece e todos ficam bem, o bebê e a mãe, temos o primeiro marco de sucesso.

Durante o meu nascimento ocorre o mistério sobre o meu sucesso e é justamente onde se pauta todo o meu olhar de Mentoria de Alta Performance de Mindset Milionário.

No momento do nascimento, nós adquirimos crenças acerca do que é a vida, acerca do que é a realização e consequentemente acerca do que é êxito e sucesso. Essas crenças podem condicionar toda a vida de uma pessoa e esse condicionamento pode aniquilar o sucesso de alguém.

Quando as pessoas me procuram querendo ter mais sucesso profissional, a primeira coisa que eu faço é tentar identificar como foi que eles nasceram. A partir daí, vou traçando um raio-X de toda história dessa pessoa até a vida adulta. Vejo o histórico profissional para que juntos possamos identificar onde começou a dificuldade em ter êxito.

Neste momento, os meus mentorados tem os seus “eurecas”. Começam a perceber que o processo de desconstrução do fracasso é muito mais profundo do que aprender marketing, do que se colocar na rede social, do que ter mais estrutura organizacional, mais planejamento estratégico que funcione, do que ter bons colaboradores etc.

É uma questão de mindset, de mentalidade forte ou não, e este modelo mental pode ter sido criado ainda na tenra idade, quiçá no momento do nascimento do mentorado.

Isso leva com que alguns percebam que estão se esforçando pelo caminho errado, isto é, que estão buscando soluções acreditando que têm uma “doença”, uma sintomatologia que está sendo “tratada” e na verdade, o problema é outro.

É como se fosse um descobrir da pólvora e também um grande alívio. E aí, as pessoas começam a perceber que elas estavam simplesmente tentando combater o inimigo errado e começam, verdadeiramente, a entender e consequentemente diminuir o impacto das crenças adquiridas no nascimento.

Elas começam a implantar uma nova mentalidade, transformando os seus paradigmas acerca do sucesso. Criando uma nova forma de verem a si, o mundo e consequentemente uma nova forma de ver e ter sucesso.

A maioria das pessoas, depois desse momento, muda completamente a forma como vive, e gera automaticamente mais sucesso para elas e contribuem para quem está à sua volta de forma positiva.

Se eu puder dar uma dica, algo simples e importante antes de ir atrás de mais formação, contratar alguém para a sua equipe, ou fazer qualquer outro tipo de investimento, aconselho antes tentar saber um pouco sobre o seu histórico e daí por diante, começar a entender que o seu baixo nível de sucesso pode ter ligação com o momento que você chegou na vida.

E se esse for o seu caso, procure um profissional que possa te auxiliar nessa etapa, e que possa ajudá-lo a transformar sua mentalidade, a partir do início da raiz do problema e consequentemente libertar as suas crenças natais acerca do Sucesso.

E com isso, ter uma nova mentalidade. Aí sim, você realmente vai conseguir ter um desenvolvimento, um desempenho em alta performance.

Lembre-se de que você já passou pelo nascimento com êxito. Então, só precisa trazer essa lembrança à tona, e transformar tudo aquilo em que toca em SUCESSO.

Por Marinélia Leal