Microempreendedor Individual: Conheça opções de crédito para o seu negócio

0

O país têm vivido uma crise financeira que contribui para o aumento do desemprego e a redução da renda dos brasileiros.

Por isso, várias pessoas estão buscando uma atividade extra como alternativa para o sustento de suas famílias e o registro MEI (Microempreendedor Individual) se tornou a principal opção. 

Por isso, durante a pandemia, o Governo Federal e as instituições financeiras disponibilizam várias opções de crédito para ajudar os empreendedores à manter seu negócio e sair do vermelho.

As ofertas vão desde facilidades na compra de bens até à contratação de linhas de crédito especiais para alavancar a empresa e movimentar a economia novamente. 

Então, se você se enquadra na categoria de microempreendedor individual e possui um CNPJ saiba que pode ter acesso à várias oportunidade sem juros tão altos como estamos acostumados a lidar.

Para te ajudar, separamos as principais opções para você manter seu negócio durante a crise.

Veja quais são eles:

Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (Peac): é composto por duas modalidades e uma delas é voltada aos Microempreendedores individuais e às empresas de pequeno porte: o Peac-Maquininhas;

Programa Juro Zero: voltado o microempreendedor individual (MEI) que têm acesso a uma linha de crédito de até R$ 5 mil.

A iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc), em parceria com as instituições de microcrédito catarinenses.

Caixa e Sebrae: o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Caixa Econômica Federal se uniram para auxiliar os pequenos negócios e disponibilizaram uma linha de crédito de R$7,5 bilhões.

A modalidade de empréstimo pode ser solicitada para o setor da indústria, comércio e serviços.

Podem pedir o empréstimo o MEI com faturamento anual de até R$81 mil; as microempresas que faturam até R$360 mil por ano e as empresas de Pequeno Porte com faturamento entre R$360 mil e R$4,8 milhões ao ano.

Microcrédito Itaú: os juros oferecidos pelo banco podem chegar a 3,79% ao mês. O prazo para pagamento varia de 4 a 15 meses.

Microcrédito Banco do Brasil: estão disponíveis várias modalidades de crédito através da instituição, sendo uma delas o empréstimo com garantia de imóvel e o valor do crédito é de até 60% do valor do imóvel dado em garantia.

Designed by Flamingo Images / shutterstock

Microcrédito Bradesco: também é um empréstimo com imóvel em garantia e o cliente pode pagar as parcelas em até 180 meses; 

Microcrédito Santander: através do Usecasa o empreendedor pode pagar taxa de 1% ao mês e tem até 20 anos para pagar; 

Microcrédito Caixa Econômica Federal: para empreendedores, a Caixa disponibilizou ainda o com garantia de imóvel.

Assim é possível pagar em até 240 meses o empréstimo com até 50% do valor do bem em garantia.

Crédito Pequenas Empresas BNDES: é uma iniciativa de apoio ao enfrentamento dos efeitos econômicos da pandemia do coronavírus, o BNDES expandiu a oferta de capital de giro. 

Cartão de Crédito: o microempreendedor também têm a opção de solicitar crédito por meio Cartão do BNDES.

Para conseguir acesso ao cartão BNDES o primeiro passo é ter uma conta corrente em algum destes bancos parceiros. 

Documentos Necessários

Para solicitar um empréstimo, o MEI precisa estar atento aos documentos que são exigidos durante o processo de solicitação.

Porém, cada instituição financeira possui suas próprias exigências, então, vamos ressaltar neste artigo os principais documentos que normalmente exigidos:

  • Documentos pessoais (RG, CPF e comprovante de residência)
  • CNPJ e certidão de existência da empresa
  • Dados da conta bancária
  • Comprovante de endereço do estabelecimento come

Cuidados 

Antes de fazer qualquer tipo de empréstimo é preciso verificar a situação financeira da empresa e fazer um planejamento estratégico, para evitar que esse recurso  se torne apenas mais uma dívida a ser quitada.

Então analise a necessidade e como o recurso será empregado.

Para isso, você pode contar com um profissional contábil para te orientar sobre a saúde financeira do seu empreendimento. 

Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com toda burocracia, risco de inadimplência e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. 

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Por Samara Arruda