Minas não registra mortes por covid-19 em 813 municípios do Estado

Considerando os últimos 15 dias, 785 municípios não tiveram óbitos pela doença.

Minas Gerais não registrou nenhuma morte por covid em 813 municípios mineiros nos últimos sete dias, o que equivale a 95 % das cidades do estado.

Considerando os últimos 15 dias, 785 municípios não tiveram óbitos pela doença.

Os dados foram apresentados pelo médico Fábio Baccheretti, secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, na manhã desta quinta-feira (26 de maio), durante reunião mensal do Comitê Extraordinário Covid-19.

Na média, a taxa cresceu 36% na última semana e 217% nos últimos 14 dias.

O secretário destaca que: “Observamos o aumento no número de casos de covid, principalmente nas regiões Sul e Triângulo do Sul. No entanto, não percebemos aumento no número de óbitos ou internações. Por isso é tão importante a vacinação. Peço mais uma vez que todos completem o esquema vacinal e levem os filhos para tomar as doses”.

Segundo Baccheretti, afirmou que assim como a gripe, a covid-19 também vai ser mais comum na época de frio e tempo seco. 

“Mas não se trata de uma cepa nova e nem de uma suposta quarta onda da doença”.

Cobertura vacinal

Baccheretti ressalta que a cobertura vacinal é a principal arma contra a covid-19. 

“De modo geral, o estado tem 82% de cobertura da primeira dose entre maiores de 18 anos e 70% entre as crianças de cinco a 11 anos. Mas doses de reforço em adultos têm sido negligenciadas em muitas regiões. Apenas 260 municípios registram mais de 70% de cobertura da dose de reforço. No caso da segunda dose infantil, em média 50% dos pais estão desconsiderando a aplicação”.

Outro ponto levantado na reunião diz respeito à heterogeneidade do estado, que tem desenvolvido resistência à vacina principalmente em regiões mais distantes dos grandes centros.  

 “Nesse sentido, estamos em trabalho de mobilização. É muito importante insistir na cobertura vacinal completa”.

Máscaras

O secretário destacou ainda que o uso ou a dispensa de máscaras é prerrogativa de cada município. Mas recomenda o uso de acordo com a escolha pessoal de cada um e do bom senso.

“Minhas filhas, de quase 5 anos, vão para a escola de máscara”.

Baccheretti finalizou a reunião com informação de que a disponibilidade de uma quarta dose para maiores de 18 anos vem sendo avaliada por estados e governo federal.

Comentários estão fechados.