Moderna diz que sua vacina Covid-19 é 100% eficaz em adolescentes

0

A Moderna disse na terça-feira que sua vacina Covid-19 foi 100% eficaz em um estudo com adolescentes de 12 a 17 anos, tornando-se a segunda injeção, atrás da Pfizer, a demonstrar alta eficácia em grupos de idades mais jovens.

A empresa disse que planeja pedir à Administração de Alimentação e Medicamentos para expandir o uso emergencial de sua vacina Covid-19 para adolescentes no início do próximo mês.

Se aprovado, provavelmente aumentaria drasticamente o número de doses disponíveis para alunos do ensino fundamental e médio antes do próximo ano letivo.

A Pfizer e a parceira alemã BioNTech foram liberadas para usar sua vacina em crianças de 12 a 15 anos no início deste mês.

“Estamos animados que o mRNA-1273 foi altamente eficaz na prevenção de COVID-19 em adolescentes”, disse o CEO da Moderna, Stephane Bancel, em um comunicado à imprensa.

A vacina de duas doses, administrada com um intervalo de quatro semanas, já está autorizada para adultos.

O estudo da fase 2/3 que a empresa citou na terça-feira, 25, incluiu mais de 3.700 adolescentes.

Nenhum caso de Covid-19 foi observado em participantes que receberam duas doses da vacina, enquanto quatro casos foram observados no grupo placebo, de acordo com a empresa.

Nenhuma preocupação de segurança significativa foi identificada e os efeitos colaterais geralmente são consistentes com aqueles observados em um estudo anterior com adultos, disse a empresa.

Os efeitos colaterais mais comuns após a segunda dose foram dor de cabeça, fadiga, dores musculares e calafrios, segundo a Moderna.

Os novos dados são divulgados menos de três semanas depois que a empresa divulgou em um relatório de lucros que os primeiros dados mostraram que a injeção foi 96% eficaz na proteção contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Esses dados foram baseados naqueles que receberam pelo menos uma dose da vacina.

A empresa disse na terça-feira que a vacina mostrou ser 93% eficaz após a primeira dose.

Como as crianças têm menos probabilidade de adoecerem gravemente, a Moderna usou a definição de Covid-19 dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) para calcular esse número. Requer apenas um sintoma e um teste de Covid positivo.

Espera-se que os reguladores dos Estados Unidos atendam ao pedido da Moderna para uso em adolescentes.

O processo de aprovação pode levar cerca de um mês, bem a tempo para algumas atividades de verão e aulas de outono, se a empresa enviar os dados até o início de junho.

A Pfizer e a BioNTech solicitaram a expansão do uso de suas vacinas em adolescentes em 9 de abril, por exemplo, e foram autorizadas pelo FDA em 10 de maio.

A vacinação de crianças é considerada crucial para acabar com a pandemia. É improvável que o país alcance imunidade coletiva, quando um número suficiente de pessoas em uma determinada comunidade tem anticorpos contra uma doença específica, até que as crianças possam ser vacinadas, dizem autoridades de saúde e especialistas.

As crianças representam cerca de 20% da população total dos EUA, de acordo com dados do governo.

Cerca de 70% a 85% da população dos EUA precisa ser vacinada contra a Covid-19 para obter imunidade coletiva, dizem os médicos especialistas, e alguns adultos podem se recusar a tomar as vacinas.

Embora mais especialistas agora digam que a imunidade coletiva parece cada vez mais improvável à medida que as variantes se espalham.

A vacinação de crianças também pode acelerar o retorno do aprendizado presencial e dar liberar às atividades extracurriculares após as aulas, como esportes, arte e outras atividades presenciais, dizem os especialistas em saúde.

Conteúdo traduzido da fonte CNBC por Wesley Carrijo para o Jornal Contábil