Modernização facilitará a vida dos profissionais da contabilidade

Certificado Digital




O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) está trabalhando na modernização dos sistemas de suas atividades-fim. Registro, Fiscalização e Educação Profissional Continuada passarão a contar com um sistema integrado entre CFC e todos os Conselhos Regionais de Contabilidade (CRCs). O objetivo é qualificar e dar celeridade aos processos, além de contemplar os avanços ocorridos nos últimos anos nessas áreas.

Não existe integração entre o CFC e os CRCs, e muitos processos que começam nos CRCs precisam ser validados pelo Conselho Federal, o que, hoje, demanda muito tempo. “A contabilidade brasileira está passando por profundas mudanças, e assim como os profissionais precisam estar preparados para atender às novas exigências, o conselho também está se preparando”, observa o presidente do CFC, José Martonio Alves Coelho.

Em dezembro de 2014 foi realizado o pregão eletrônico que selecionou a empresa responsável por criar o sistema, e em fevereiro deste ano a área de informática do CFC, em parceira com a empresa vencedora, começou o trabalho, que foi dividido em três etapas. Em abril de 2016 entra no ar o sistema de fiscalização; em outubro, o de registro profissional, e em dezembro, o de educação profissional continuada. “Temos oito funcionários do CFC e 20 da empresa contratada trabalhando intensamente para que possamos cumprir os prazos e entregar um sistema que atenda às necessidades do CFC, dos CRCs e dos profissionais da contabilidade”, explica o vice-presidente de Desenvolvimento Operacional, Aécio Dantas Júnior.

Fiscalização

A fiscalização ganhará agilidade com o novo sistema, mas principalmente eficiência. O gerenciamento de todos os processos abertos será feito online. O profissional receberá um e-mail solicitando os documentos necessários para a fiscalização. Após o recebimento do e-mail, terá 10 (dez) dias para responder aos questionamentos e poderá encaminhar os documentos eletronicamente. O julgamento dos processos também será eletrônico. “O objetivo é simplificar a vida do profissional, que não terá mais de parar suas atividades para receber o fiscal e poderá fazer o upload dos documentos no sistema na hora que for mais conveniente para ele, dentro do prazo de dez dias”, explica o vice-presidente de Fiscalização, Ética e Disciplina do CFC, Luiz Fernando Nóbrega.

De acordo com o vice-presidente, não haverá mudanças no conteúdo da fiscalização nem na abrangência. “O conteúdo da fiscalização será o mesmo, mudaremos apenas a forma como será feita, ocupando menos tempo do profissional e do fiscal.” Hoje existem 215 fiscais que fazem cerca de 240 diligências por ano. “Nosso interesse é qualificar a análise feita hoje. A fiscalização é fundamental para a proteção da sociedade. É a garantia de que os serviços contábeis que estão sendo prestados são feitos por profissionais capacitados para isso”, reforça Nóbrega.

O sistema de fiscalização será o primeiro a ser implantado. Entra no ar em abril de 2016. (Administradores)

[useful_banner_manager banners=21 count=1]

Comente

Comentários