Nascidos em junho podem sacar o auxílio emergencial hoje

Segundo o Ministério da Cidadania, o benefício será concedido até o próximo mês

Vai se aproximando o final da concessão do auxílio emergencial pelo Governo Federal. De acordo com o Ministério da Cidadania, outubro será o último mês de pagamentos. A previsão é que a partir de novembro entre em vigor o Programa Auxílio Brasil, em substituição ao Bolsa Família.

Mas a partir desta sexta-feira, dia 10, os trabalhadores nascidos em junho que são beneficiários do auxílio emergencial 2021 podem sacar ou transferir os recursos da 5ª parcela que foram creditados na Poupança Social Digital.

Para realizar o saque, os beneficiários podem comparecer às agências da Caixa de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h. Não é necessário chegar antes do horário de abertura, já que os cidadãos na fila recebem senha para que todos ali presentes sejam atendidos. 

Se não precisar de ajuda, o cidadão pode realizar o saque no caixa eletrônico. Entrar no aplicativo do Caixa Tem, selecionar a opção do “saque sem cartão”, gerar o código de saque e depois informar o valor que quer sacar. A quantia sai na hora.

Os recursos ainda podem ser movimentados nas casas lotéricas de todo o país ou pelo Caixa Tem. No aplicativo é possível pagar boletos, contas de água, luz, telefone, além de fazer compras por meio do cartão de débito virtual. Acompanhe a seguir as datas para os saques ao auxílio emergencial:

  • Nascidos em junho – 10 de setembro
  • Nascidos em julho – 13 de setembro
  • Nascidos em agosto – 14 de setembro
  • Nascidos em setembro – 15 de setembro
  • Nascidos em outubro – 16 de setembro
  • Nascidos em novembro – 17 de setembro
  • Nascidos em dezembro – 20 de setembro

O auxílio emergencial é um benefício instituído pela Lei de nº 13.982/2020, que previu o repasse de valores mensais a trabalhadores informais e de baixa renda, microempreendedores individuais e também contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social.

O valor das parcelas do auxílio emergencial são: uma cota R$ 150 para famílias de uma só pessoa, R$ 250 para famílias de duas ou mais pessoas e R$ 375 para mães chefes de família monoparental.

Comentários estão fechados.