É um erro acreditar que você sabe ou pode saber todos os fatos que permeiam um investimento em particular. 

Não apenas questões importantes podem ficar sem respostas; todas as perguntas relevantes podem nem chegar a serem feitas. 

Mesmo se o presente, de alguma forma, puder ser entendido em sua integridade, a maioria dos investimentos dependem de resultados que não podem ser previstos com precisão.

Mesmo se pudesse saber tudo sobre uma empresa, a realidade é que os valores de um negócio não são imutáveis. Investimentos seriam muito mais simples se os valores e premissas permanecessem constantes enquanto a cotação das ações no mercado de capitais varia com o tempo.

A filosofia de investimento em valor consiste em trocar uma quantidade total de dinheiro (preço pago pelas ações) por uma quantia total maior de valor (o valor intrínseco das ações). 

A questão é: se é impossível obter respostas perfeitas para todas as variáveis que compõe um negócio, como fazer o valuation corretamente?

Se você não pode ter certeza sobre o valor estimado, então como você pode estar certo de que está comprando uma empresa a um preço descontado? A verdade é que você nunca terá 100% de certeza.

É aí que entra o conceito de margem de segurança. A ideia de margem de segurança foi popularizada pelo lendário investidor Benjamin Graham.

Graham entendia que se um ativo vale R$1,00 hoje, ele poderia valer R$0,80 centavos ou R$1,20 num futuro próximo. Ele também sabia que poderia estar errado sobre o valor presente.

Por esse motivo, Graham não tinha interesse em pagar R$1,00 por R$1,00 de valor. Não existe vantagem nessa atitude, o que pode resultar em perdas. Graham só estava interessado em comprar ativos com um desconto substancial perante o seu valor intrínseco.

Ao investir em algo descontado, ele sabia que suas chances de experimentar uma perda eram minimizadas. O desconto fornecia uma margem de segurança.

A margem de segurança é necessária pois investir é tanto uma ciência como uma arte. Decisões assertivas só são feitas unindo análises quantitativas a análises qualitativas, que são subjetivas e sujeitas a imperfeições.

Portanto, uma margem de segurança é alcançada quando ativos são comprados por preços suficientemente inferiores ao seu valor, a ponto de permitir má sorte, erros humanos, ou volatilidade expressiva proveniente de um mundo complexo, imprevisível e que muda rapidamente.

Quanto de margem de segurança é necessário? Não existe uma única resposta. Quanta má sorte, volatilidade exacerbada, ou tolerância a erro, o investidor está disposto a experimentar? 

Quanto mais extenso for o pré-requisito para a margem de segurança, mais paciência o investidor deverá ter, esperando barganhas extremamente descontadas, que aparecem de tempos em tempos.

Agora, mesmo usufruindo desse conceito, ainda é possível que existam perdas. Mas ao longo dos anos, as perdas serão superadas, por muito, pelos ganhos.Ao investir em valor, comprando ativos subprecificados, os possíveis ganhos são desproporcionalmente maiores do que as possíveis perdas, e é assim que se atinge o sucesso no longo prazo.

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL :MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta. E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!