Estudo realizado pela Systax revela que muitas companhias sequer conferem informações dos documentos recebidos.

As notas fiscais eletrônicas (NF-e) ainda não recebem o tratamento adequado e o risco de as empresas sofrerem uma penalização imposta pelo Fisco é grande. É o que indica uma pesquisa realizada pela fornecedora de tecnologia Systax junto a 1087 companhias.

O estudo realizado pela provedora de ferramentas fiscais alerta que a forma como esses documentos são geridos pode acarretar pagamentos de impostos de forma errônea, além de deixar de obter créditos quando possível.

“A questão da qualidade da informação tributária, objetivo do Sped, também continua como um grande problema para a maioria das empresas pesquisadas”, afirma a companhia.

De acordo com a Systax, além daquelas organizações que não conferem as informações das NF-e recebidas, há um grande percentual de erros detectados pelas empresas que executam esta tarefa.

A pesquisa aborda também a preparação para a Manifestação do Destinatário, cruzamentos entre XMLs e escrituração fiscal, adoção do CT-e, Eventos da NF-e, erros de NCM nas NF-e recebidas, multas já recebidas, dentre outros problemas observados.

“É fundamental que as empresas avaliem seus processos de forma a garantir a guarda, validade, integridade e qualidade das informações”, aconselha a provedora, afirmando que tais pontos ainda não são vistos como relevantes por uma parcela das empresas que contribuíram com a pesquisa.

Cerca de 60% do universo pesquisado ainda realiza procedimentos manuais para validação e armazenamento de suas NF-e e 66% afirmam já terem recebido alguma NF-e inválida, cancelada, denegada ou com algum problema.

[useful_banner_manager banners=21 count=1]

Comente no Facebook

Comentários