A partir de janeiro deste ano, todos os estabelecimentos do varejo devem estar operando com a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e), o novo sistema que automatiza o envio de dados para o Fisco. Você já preparou sua empresa para isso?

Para trazer mais transparência para Governo e consumidores em janeiro todos os estabelecimentos do varejo devem operar com a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica. No entanto, muitas empresas ainda não se adaptaram a esse novo modelo, que precisa de uma impressora moderna para operar – e não estar de acordo com a legislação pode acarretar até em multa.

Assim como o prazo final exato para se enquadrar no projeto da NFC-e, a multa por não utilizar a nota eletrônica após ela se tornar obrigatória também pode variar para cada estado do país – em alguns, ela pode chegar até mil reais. Portanto, se adaptar a essa nova forma de controle fiscal é muito melhor do que arcar com eventuais penalidades.

A partir de janeiro deste ano, todos os estabelecimentos do varejo devem estar operando com a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e), o novo sistema que automatiza o envio de dados para o Fisco

NFC-e: funcionamento e vantagens

A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica surgiu como substituta à nota fiscal impressa mais conhecida. É uma versão moderna daquele recibo que documentava as operações de circulação de mercadorias, que ficava armazenado na impressora e mensalmente era repassado ao contador da loja para que ele enviasse ao Fisco.

Agora, com a NFC-e esse processo se torna muito mais ágil e automatizado. A nova impressora desse recibo trabalha de duas formas:

conta com uma comunicação direta com a Sefaz (Secretaria da Fazenda) para a transmissão dos dados via Internet em tempo real. Isso representa muito mais facilidade para empresas e governo (Fisco).

após a compra, ela imprime o DANFE NFC-e, um documento físico que é entregue ao consumidor e no qual constam dados sobre a empresa, atestando que ela está em dia com o Fisco. Gerando mais transparência entre estabelecimento e consumidor.

Qual a impressora fiscal mais completa?

No entanto, é impossível contar com essas vantagens e se adequar à nova legislação se o seu negócio não contar com uma impressora fiscal compatível com a NFC-e. É preciso contar com um modelo tecnológico e com recursos extras para contribuir ainda mais nas operações do seu negócio.

Uma das máquinas mais populares no mercado é a Bematech MP-4200, que une tamanho compacto, extensa vida útil, funcionamento versátil e recursos que otimizam a sua utilização no dia a dia de diversos estabelecimentos do varejo.

Ela possui:

– velocidade de impressão de até 250mm/s;

– pode imprimir até 200km de papel;

– conta com uma guilhotina com vida útil para dois milhões de cortes;

– é compatível com bobinas de 58mm até 82,5mm de largura, e com até 102mm de diâmetro;

– tem sistema Easy Recovery, que permite desatolar o papel com extrema facilidade;

– é operacional não apenas como impressora de NFC-e, mas também com emissão de senhas, cupons, ordens de serviço e relatórios.

Com o equipamento certo e se adaptando à obrigatoriedade da NFC-e, seu estabelecimento só tem a ganhar em agilidade e em qualidade no atendimento aos seus consumidores. Portanto, é muito importante estar atento aos prazos – para saber a data limite em que sua empresa precisa estar utilizando a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, basta consultar o site da Secretaria da Fazenda do seu estado. Via Automatech

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.