14°C 28°C
Uberlândia, MG
Publicidade

INSS: estes motivos podem CANCELAR sua pensão por morte 

INSS: estes motivos podem CANCELAR sua pensão por morte 

13/03/2023 às 17h04 Atualizada em 13/03/2023 às 20h04
Por: Lucas Machado
Compartilhe:
Imagem: Freepik / editado por Jornal Contábil
Imagem: Freepik / editado por Jornal Contábil

A pensão por morte está entre os benefícios mais conhecidos do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Apesar da relativa popularidade, muitos segurados ainda possuem dúvidas relacionadas às regras do provento, algo que é essencial, principalmente, para não ser pego de surpresa com o cancelamento dos pagamentos.  

Em suma, a pensão é destinada aos dependentes de um segurado do INSS que faleceu. Sendo assim, é preciso que o falecido tenha contribuído com a previdência social, em vida, e que haja dependentes habilitados ao recebimento do benefício.

Atendido tais requisitos o INSS iniciará os repasses mensais da pensão por morte ao beneficiário. No entanto, nesse momento entra um fator que gera muita confusão em muitos segurados, a duração dos pagamentos do provento. 

Uma vez que a pensão é concedida, ela será paga ao beneficiário pelo resto de sua vida, certo? Errado, nem toda pensão é vitalícia, ao contrário do que muitos acreditam. Aliás existem outros motivos que levam ao cancelamento do benefício. Neste artigo, abordaremos as razões que mais ocasionam o cessamento dos pagamentos. Continue acompanhando e esteja por dentro.   

Quem são os dependentes com direito a pensão por morte?

Como o nome sugere, os dependentes são aqueles que dependiam financeiramente do segurado falecido. A previdência social os classifica na seguintes ordem de prioridade: 

  • Classe 1: o cônjuge, a(o) companheira(o), e o filho não emancipado, menor de 21 anos ou inválido (tenha deficiência ou doença grave);
  • Classe 2: os pais;
  • Classe 3: o irmão ou irmã não emancipado(a) menor de 21 anos ou inválido.

A ordem descrita acima deve ser respeitada, de modo que haverá questões prioritárias no caso de haver mais de um dependente habilitado. Isto é, a existência de um parente da classe 1, já inviabiliza a concessão do benefício para alguém das classes 2 e 3, e assim vai. 

Duração dos pagamentos 

Em linhas gerais, o tempo em que a pensão por morte permanecerá sendo paga irá variar conforme a idade do segurado. Contudo, antes é preciso observar algumas situações que fogem desta regra, são elas: 

  • Quando o casamento ou união estável tinha uma duração inferior a 2 anos no momento da morte. Neste caso, a pensão será paga por apenas 4 meses;
  • Quando o segurado falecido realizou menos de 18 contribuições mensais, ainda estava vivo. Aqui, a pensão também terá uma duração de 4 meses; 
  • No caso de irmãos ou filhos, os pagamentos irão durar até o dependente completar  21 anos ou se recuperar da invalidez. 

Nos demais casos, a duração da pensão será definida conforme a idade do dependete no momento do falecimento, como demonstra a tabela abaixo: 

Idade do dependente no momento da morteDuração dos pagamentos da pensão por morte 
Menos de 21 (vinte e um) anos de idade3 (três) anos
Entre 21 (vinte e um) e 26 (vinte e seis) anos de idade6 (seis) anos
27 (vinte e sete) e 29 (vinte e nove) anos de idade10 (dez) anos
Entre 30 (trinta) e 40 (quarenta) anos de idade15 (quinze) anos
Entre 41 (quarenta e um) e 43 (quarenta e três) anos de idade20 (vinte) anos
44 (quarenta e quatro) ou mais anos de idadeVitalícia

Motivos levam ao cancelamento da pensão por morte

Esclarecidos estes pontos essenciais do benefício, agora, vejamos alguns dos principais motivos que ocasionam o cancelamento da pensão por morte: 

  • Quando o tempo de duração da pensão por morte chega ao seu fim, como indica a tabela do tópico anterior; 
  • Quando o filho(a) ou irmão ou irmã não emancipado completa 21 anos ou se recupera da invalidez que deu direito ao benefício; 
  • Mediante ao retorno do segurados supostamente falecido, em casos de morte presumida (desaparecimento); 
  • Quando o beneficiário ganha o direito de receber outra pensão por morte. Situação comum em casos nos quais o beneficiário se casa novamente, tornando necessário escolher uma das pensões, já que não é possível acumular duas.

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
26°
Tempo limpo

Mín. 14° Máx. 28°

25° Sensação
5.14km/h Vento
27% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h44 Nascer do sol
05h54 Pôr do sol
Qua 29° 14°
Qui 30° 15°
Sex 30° 15°
Sáb 30° 16°
Dom 31° 17°
Atualizado às 14h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,59 +0,23%
Euro
R$ 6,06 -0,10%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,55%
Bitcoin
R$ 390,542,70 -2,66%
Ibovespa
126,812,69 pts -0.82%
Publicidade
Publicidade