17°C 30°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Copom decide hoje (11) o corte dos juros básicos da economia

Copom decide hoje (11) o corte dos juros básicos da economia

01/11/2023 às 09h18 Atualizada em 01/11/2023 às 12h18
Por: Leonardo Grandchamp
Compartilhe:
Imagem: rafastockbr / freepik
Imagem: rafastockbr / freepik

Nesta quarta-feira (1º), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) se reúne para definir o novo patamar da taxa básica de juros, a Selic. Apesar da recente valorização do dólar e das taxas de juros em ascensão nos Estados Unidos, a expectativa é que o Copom opte por reduzir a Selic, atualmente em 12,75% ao ano, para 12,25% ao ano. Isso marcará o terceiro corte consecutivo desde agosto, quando a autoridade monetária interrompeu o ciclo de aperto monetário.

Em comunicados recentes, o Copom havia indicado que os diretores do BC, juntamente com o presidente da instituição, Roberto Campos Neto, concordavam de forma unânime com a perspectiva de cortes de 0,5 ponto percentual nas próximas reuniões.

Leia também: O Que O Copom Deve Decidir Sobre A Taxa Básica De Juros? Confira!

De acordo com a edição mais recente do boletim Focus, uma pesquisa semanal com analistas de mercado, a taxa básica deve, de fato, registrar uma redução de 0,5 ponto percentual, embora algumas instituições prevejam um corte menor, de 0,25 ponto. A expectativa geral do mercado financeiro é que a Selic encerre o ano em 11,75% ao ano. A decisão do Copom será anunciada ao final do dia de hoje.

Inflação

Na reunião de setembro, o Copom expressou preocupações em relação à incerteza presente nos mercados financeiros. O comitê também identificou riscos de um possível aumento, próximo ao final do ano, no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é o indicador oficial da inflação.

O Copom analisou que parte dessa incerteza que afeta as expectativas de inflação nos mercados está relacionada à habilidade do governo em implementar políticas fiscais compatíveis com as estruturas orçamentárias. No mercado internacional, a perspectiva de alta de juros nos Estados Unidos e a guerra entre Israel e o grupo palestino Hamas dificultam a tarefa do BC de baixar os juros em 0,5 ponto.

Leia também: Cuidado: Não Caia No Golpe Da Falsa Carta De Crédito Contemplada!

Para o Banco Central, a redução das projeções de inflação se dará por meio de uma ação decisiva, visando fortalecer a credibilidade e a reputação tanto das instituições quanto dos mecanismos econômicos em vigor. Devido à substancial desaceleração nos índices de preços nos últimos meses, as expectativas inflacionárias estão em declínio.

De acordo com a edição mais recente do Boletim Focus, as estimativas para a inflação em 2023 foram revisadas de 4,65% para 4,63%. Esses números situam-se dentro do intervalo estabelecido como meta pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é de até 4,75% para este ano.

No mês de setembro, impulsionado pelos preços da gasolina, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou uma variação de 0,26%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com a pressão exercida pelos combustíveis, o índice permaneceu em linha com as expectativas do Boletim Focus. Esse resultado resultou em um aumento acumulado de 3,5% no ano e de 5,19% nos últimos 12 meses.

Taxa Selic

A taxa básica de juros, conhecida como Selic, desempenha um papel crucial nas negociações de títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional no Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Além disso, ela serve como referência para outras taxas na economia, desempenhando um papel fundamental na estratégia do Banco Central para controlar a inflação. Diariamente, o Banco Central realiza operações de mercado aberto, envolvendo a compra e venda de títulos públicos federais, com o objetivo de manter a taxa de juros próxima ao valor definido nas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom).

Quando o Copom opta por elevar a taxa Selic, seu principal objetivo é conter a demanda excessiva na economia. Isso tem um impacto direto nos preços, uma vez que taxas de juros mais elevadas encarecem o crédito e incentivam a poupança. Por conseguinte, taxas mais altas também podem restringir o crescimento econômico. No entanto, para os bancos, a definição das taxas de juros para os consumidores leva em conta outros fatores, como o risco de inadimplência, margem de lucro e despesas operacionais.

Uma redução na taxa Selic, por sua vez, tende a tornar o crédito mais acessível, estimulando a produção e o consumo. Isso, por sua vez, pode diminuir o controle sobre a inflação e fomentar a atividade econômica.

As reuniões do Copom ocorrem a cada 45 dias. Durante o primeiro dia do encontro, são apresentadas análises técnicas sobre a situação econômica brasileira e global, bem como o comportamento dos mercados financeiros. No segundo dia, os membros do Copom, que consiste na diretoria do Banco Central, revisam as informações e tomam decisões em relação à taxa Selic.

Meta

Para o ano de 2023, o Banco Central tem como meta de inflação a ser perseguida, conforme estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional, um índice de 3,25%, com uma faixa de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Isso significa que o limite inferior da meta é de 1,75%, enquanto o superior é de 4,75%. No que se refere aos anos de 2024 e 2025, as metas são estabelecidas em 3% para ambos, com o mesmo intervalo de tolerância. Quanto à meta para 2026, esta será definida ainda neste mês.

No último Relatório de Inflação, divulgado no final de setembro pelo Banco Central, a instituição manteve sua projeção de que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerre o ano de 2023 em 5%, indicando a possibilidade de um ligeiro descumprimento da meta de inflação estabelecida. O próximo relatório está previsto para ser divulgado no final de dezembro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
25°
Tempo limpo

Mín. 17° Máx. 30°

24° Sensação
3.09km/h Vento
31% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h46 Nascer do sol
05h50 Pôr do sol
Sáb 28° 16°
Dom 28° 15°
Seg 29° 16°
Ter 29° 16°
Qua 30° 16°
Atualizado às 20h06
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,93 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,05%
Bitcoin
R$ 332,905,10 +0,43%
Ibovespa
128,896,98 pts 0.47%
Publicidade
Publicidade