13°C 26°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Novo CNPJ Alfanumérico: mudança prevista para janeiro de 2026

CNPJ passará a utilizar uma combinação de números e letras, aumentando a capacidade de registros

13/06/2024 às 15h16 Atualizada em 17/06/2024 às 10h08
Por: Ana Luzia Rodrigues Fonte: Redação
Compartilhe:
CNPJ Alfanumérico / Imagem Freepik
CNPJ Alfanumérico / Imagem Freepik

A Receita Federal do Brasil deu um passo significativo ao anunciar a transição do Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) para um formato alfanumérico. Essa mudança não é apenas uma atualização técnica, mas uma verdadeira revolução na forma como as empresas são identificadas no país.

Desde a sua criação em 1968, quando ainda era conhecido como Cadastro Geral de Contribuintes (CGC), o CNPJ tem desempenhado um papel crucial na identificação e no registro das pessoas jurídicas no Brasil. No entanto, com quase 60 milhões de estabelecimentos cadastrados e uma demanda crescente por novos registros, o sistema atual começou a mostrar sinais de esgotamento. 

A aprovação da Emenda Constitucional nº 132 de 2023, que prevê a criação de novos números de inscrição para atender à expansão econômica, reforçou ainda mais essa necessidade.

A mudança para um CNPJ alfanumérico vem como uma solução inovadora para essa questão. Mas o que exatamente essa mudança implica e quais serão seus impactos?

CNPJ do Futuro: Entenda a Mudança Radical para o Formato Alfanumérico!

 

O que muda com o novo CNPJ alfanumérico?

A principal transformação está na estrutura do número de inscrição do CNPJ, que passará de um formato exclusivamente numérico para um alfanumérico. Isso significa que, além de números, os identificadores poderão conter letras, ampliando significativamente o número de combinações possíveis.

Expansão de combinações possíveis

Atualmente, o CNPJ no formato numérico permite até 99,9 milhões de combinações. Com a nova estrutura alfanumérica, esse número se expandirá para quase um trilhão de combinações, garantindo que não haverá esgotamento de números por um longo período.

A mudança foi planejada para causar o mínimo de impacto nos sistemas informacionais existentes. A estrutura atual do CNPJ, com 14 posições, será mantida. Os caracteres alfanuméricos serão inseridos nas posições iniciais e intermediárias, o que facilita a transição e minimiza a necessidade de grandes adaptações tecnológicas.

Continuidade dos números atuais

Os CNPJs atuais continuarão válidos, evitando a necessidade de reemissão de documentos e adaptando-se de forma gradual e planejada às novas regras.

Benefícios para a economia e a administração pública

A transição para o CNPJ alfanumérico traz uma série de benefícios importantes, tanto para a economia quanto para a administração pública.

A mudança facilitará a criação de novos negócios, especialmente no segmento de microempreendedores individuais e novas naturezas jurídicas. Isso será um impulso significativo para o crescimento econômico do país.

Leia também: DASN-SIMEI 2024: Atraso na Declaração do MEI? Saiba Como Regularizar e Evitar Problemas

O futuro do CNPJ

A partir de janeiro de 2026, espera-se que o novo CNPJ alfanumérico esteja plenamente implementado. Essa mudança também prepara o terreno para um futuro de crescimento contínuo e inovação.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
14°
Tempo limpo

Mín. 13° Máx. 26°

13° Sensação
3.6km/h Vento
72% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h46 Nascer do sol
05h51 Pôr do sol
Seg 28° 15°
Ter 28° 15°
Qua 29° 15°
Qui 30° 16°
Sex 31° 17°
Atualizado às 08h05
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,93 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,05%
Bitcoin
R$ 343,930,09 +3,75%
Ibovespa
128,896,98 pts 0.47%
Publicidade
Publicidade