14°C 28°C
Uberlândia, MG
Publicidade

MUDANÇA! Rendimento do FGTS será atualizado pela inflação

Mudança fará com que saldo do FGTS não seja desvalorizado ao longo do tempo

17/06/2024 às 15h59
Por: Esther Vasconcelos
Compartilhe:
FGTS / Imagem Adobe Stock
FGTS / Imagem Adobe Stock

Na última quarta-feira (12), o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que os novos depósitos no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) devem ser atualizados, no mínimo, pelo índice oficial de inflação do Brasil, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Esta decisão entrará em vigor em breve, assim que a ata do julgamento for publicada, e afetará tanto os novos depósitos quanto o saldo já acumulado nas contas.

Anteriormente, os rendimentos do FGTS eram calculados utilizando a Taxa Referencial (TR) mais um acréscimo anual de 3%, um método que frequentemente resultava em uma defasagem em relação à inflação.

Essa antiga fórmula causou uma redução no poder de compra dos trabalhadores, levantando dúvidas sobre a eficácia da TR como índice de correção monetária.

O que isso significa?

Com as novas regras, o FGTS será ajustado pela inflação, assegurando que os saldos dos trabalhadores não sejam desvalorizados ao longo do tempo. Isso representa uma mudança significativa, já que a antiga fórmula da TR mais 3% muitas vezes não conseguia acompanhar a inflação, prejudicando o poder aquisitivo dos trabalhadores.

A decisão foi tomada após um julgamento acirrado, com uma votação final de sete a quatro a favor da atualização pela inflação. Esse é um momento considerado uma conquista para milhões de brasileiros que observaram a diminuição do valor real de seus depósitos ao longo dos anos.

Porque mudou?

O ministro Flávio Dino apresentou um voto que foi endossado pela maioria dos ministros, propondo a correção do FGTS pelo IPCA para refletir melhor a realidade econômica atual, em contraste com os argumentos a favor da manutenção da TR.

Ministros renomados como Cármen Lúcia e Luiz Fux seguiram esse entendimento, enfatizando a importância do FGTS para a seguridade social dos trabalhadores brasileiros, especialmente no que tange ao financiamento de moradias e projetos de saneamento básico.

Justiça social: A atualização monetária alinhada à inflação oficial assegura uma remuneração mais equitativa para os trabalhadores.

Impacto econômico: Os ministros debateram o potencial efeito dessa mudança nas taxas de juros de financiamentos habitacionais, uma variável importante para futuras políticas de crédito e iniciativas habitacionais.

Proteção ao trabalhador: Ressaltou-se o papel do FGTS como um mecanismo de proteção ao trabalhador, além de ser um investimento.

As deliberações do STF sobre essa alteração refletem o esforço de adaptar as políticas econômicas à situação dos trabalhadores, garantindo que as contribuições ao FGTS mantenham seu valor ao longo do tempo. Com essa nova regulamentação, espera-se que os trabalhadores se sintam mais seguros e valorizados, com seus direitos ajustados às flutuações econômicas do país.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
27°
Tempo limpo

Mín. 14° Máx. 28°

26° Sensação
4.12km/h Vento
24% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h44 Nascer do sol
05h54 Pôr do sol
Qua 29° 14°
Qui 30° 15°
Sex 30° 15°
Sáb 30° 16°
Dom 31° 17°
Atualizado às 17h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,59 +0,22%
Euro
R$ 6,06 -0,10%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,56%
Bitcoin
R$ 390,713,03 -2,61%
Ibovespa
126,589,84 pts -0.99%
Publicidade
Publicidade