17°C 30°C
Uberlândia, MG
Publicidade

“Imposto do Pecado”: conheça mais sobre esse novo imposto!

O " Imposto do Pecado" pretende ter um grande impacto no consumo dos brasileiros

08/07/2024 às 17h08
Por: Lucas Pereira
Compartilhe:

No contexto da Reforma Tributária brasileira, o termo "imposto do pecado" ganhou destaque. Essa denominação popular se refere ao Imposto Seletivo (IS), um tributo federal criado com o objetivo de desestimular o consumo de produtos considerados nocivos à saúde pública e ao meio ambiente.

Quais produtos serão taxados pelo “Imposto do Pecado”?

A lista de produtos abrangidos pelo IS é extensa e inclui :

  • Cigarros: Todos os tipos de cigarros e produtos derivados do tabaco.

  • Bebidas alcoólicas: Cervejas, vinhos, licores e outras bebidas com teor alcoólico acima de zero.

  • Combustíveis fósseis: Gasolina, diesel, querosene e outros combustíveis derivados do petróleo.
  • Veículos automotores: Carros, motos, caminhões e outros veículos que utilizam combustíveis fósseis, incluindo os elétricos.
  • Embarcações e aeronaves: Iates, barcos, aviões e outros meios de transporte movidos a combustíveis fósseis.
  • Produtos açucarados: Refrigerantes, sucos artificiais, energéticos e outros produtos com alto teor de açúcar adicionado.
  • Bens minerais: Extração de minérios como ferro, cobre, ouro e outros.
  • Jogos de azar e apostas: Apostas em jogos online e presenciais, loterias, cassinos e bingos.

Como funcionará o “Imposto do Pecado”?

O Imposto Seletivo é um tributo adicional que incidirá sobre a base de cálculo do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) ou da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS). A alíquota do IS será definida por lei específica para cada produto e pode ser superior à alíquota geral do IBS ou CBS.

Quais são os objetivos desse  imposto?

A implementação do “Imposto do Pecado” visa alcançar diversos objetivos, incluindo:

  • Desestimular o consumo de produtos nocivos: Ao aumentar o preço final desses produtos, espera-se reduzir o consumo e, consequentemente, os impactos negativos à saúde pública e ao meio ambiente.

  • Aumentar a arrecadação fiscal: A renda gerada pelo IS pode ser utilizada para financiar políticas públicas de saúde, educação, meio ambiente e outras áreas prioritárias.

É  importante ressaltar que a previsão de cobrança do Imposto Seletivo (IS) seja entre 2025 e 2026, e é provável que  o “imposto do pecado” tenha um grande impacto nos hábitos de consumo da população brasileira .

Por Lucas de Sá Pereira, contador, https://contadorlucaspereira.shop/ criador do instagram @contadorlucaspereira e colunista do Jornal Contábil.

 

 

 

 

 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Contador Lucas de Sá Pereira
Sobre o blog/coluna
Eu sou Lucas Pereira, formado pela Universidade Braz Cubas em Ciências contábeis em 2015, possuo 10 anos de experiência na área, e também possuo cursos realizados em universidades estrangeiras como: King's College London e SOAS University of London!
Ver notícias
Uberlândia, MG
22°
Tempo limpo

Mín. 17° Máx. 30°

21° Sensação
2.57km/h Vento
43% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h46 Nascer do sol
05h50 Pôr do sol
Dom 28° 15°
Seg 29° 16°
Ter 29° 16°
Qua 30° 16°
Qui ° °
Atualizado às 23h06
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,93 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,05%
Bitcoin
R$ 332,819,69 +0,40%
Ibovespa
128,896,98 pts 0.47%
Publicidade
Publicidade