17°C 30°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Saúde: alerta para a presença de alto teor de álcool na fabricação de alguns pães de forma

Uso abusivo de substâncias químicas anti-mofo para conservar produto em embalagens ultrapassa limites aceitáveis de consumo para crianças

11/07/2024 às 07h34
Por: Ricardo de Freitas Fonte: Redação
Compartilhe:
Saúde: alerta para a presença de alto teor de álcool na fabricação de alguns pães de forma | Freepik
Saúde: alerta para a presença de alto teor de álcool na fabricação de alguns pães de forma | Freepik

A PROTESTE | EUROCONSUMERS-BRASIL, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, realizou um estudo inédito no Brasil e identificou a presença de alto teor de álcool nas formulações de algumas marcas de pães de forma mais consumidas pelos brasileiros. A avaliação testou 10 marcas líderes de vendas: Visconti, Bauducco, Wickbold 5 Zeros, Wickbold Sem Glúten, Wickbold Leve, Panco, Seven Boys, Wickbold, Plusvita e Pullman.


As análises constataram que 60% dos produtos de alta representatividade nas gôndolas do supermercado seriam considerados alcoólicos caso houvesse uma legislação similar para essa categoria. Apenas os produtos Pulmann e Plus Vita foram aprovados em todas as avaliações realizadas.


Henrique Lian, diretor executivo da PROTESTE | EUROCONSUMERS-BRASIL, explica que a presença de etanol em alimentos não alcoólicos, sem identificação, é algo grave e que deve ser trazido em discussão. "Temos a certeza de que esses produtos com elevado teor alcoólico (para a categoria pão de forma) seriam evitados por numerosos consumidores –seja por motivos de saúde, orientação religiosa e outros – se fosse de seu conhecimento o que pudemos constatar com rigoroso teste realizado em laboratório devidamente acreditado, envolvendo amostras das principais marcas vendidas no Brasil.Por isso, criamos a campanha 'Se tem Álcool, todo mundo tem direito de saber', porque é nossa obrigação sermos mais transparentes com os consumidores", defende.


É de conhecimento público que a fabricação de pães envolve fermentação, onde os açúcares da massa são transformados em álcool etílico e gases. Grande parte desse álcool evapora no forno, porém algumas indústrias diluem conservantes na substância para evitar o mofo e garantir a integridade do pão. Tais aplicações, se exageradas, resultam em teores elevados de etanol no produto final.


"Embora a legislação brasileira permita o uso de algumas substâncias nos alimentos, é necessário que algumas normas sejam revistas para assegurar que o etanol residual não cause problemas aos consumidores", destaca LianSegundo o relatório da PROTESTE | EUROCONSUMERS-BRASIL é possível supor que consumir apenas duas fatias das amostras analisadas das marcas Visconti, Bauducco e Wickbold 5 zeros, poderia resultar em uma leitura positiva no bafômetro. Uma vez que, de acordo com índices do DETRAN, a quantidade segura de álcool no organismo seria abaixo de 3,3g.


A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um consumo anual de 60 kg de pão por pessoa, equivalente a 6 fatias diárias, e, levando em conta a amostra analisada, isso pode ser considerado uma grande quantidade de álcool no sangue. Quando observados alguns grupos específicos, como grávidas e lactantes, é preciso que eles tenham consciência e conhecimento que alguns produtos contêm álcool. A ingestão contínua em doses altas pode causar problemas de memória e desenvolvimento, como a síndrome alcoólica fetal (SAF).


A análise aponta ainda, que se os produtos Visconti, Bauducco, Wickbold 5 zeros, Wickbold Sem Glúten, Wickbold Leve, Panco, Seven Boys e Wickbold fossem medicamentos fitoterápicos, seriam considerados dignos de advertência alcoólica, caso houvesse uma legislação similar para esta categoria, uma vez que ultrapassam níveis de dose de álcool permitida para crianças.


A partir da descoberta, a PROTESTE | EUROCONSUMERS-BRASIL, enviou um ofício com os resultados do teste para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sugerindo estabelecimento de percentual máximo de álcool (por exemplo, 0,5% pelos balizadores apresentados no relatório) e a programação de ações de fiscalização quanto aos teores de agentes conservantes anti-mofo e o teor de álcool, após a regulamentação.


Acesse Link para ter acesso ao estudo na íntegra.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Saúde do Contador
Sobre o blog/coluna
No blog "Saúde do Contador" do Jornal Contábil, exploramos como os profissionais contábeis podem cuidar melhor de sua saúde física e mental. Abordamos práticas simples, como exercícios de relaxamento para lidar com o estresse do dia a dia, dicas de ergonomia para evitar problemas posturais comuns e a importância de pausas regulares durante o trabalho. Além disso, discutimos a importância de uma alimentação balanceada e hábitos saudáveis para melhorar o desempenho no trabalho e a qualidade de vida geral. Junte-se a nós enquanto exploramos maneiras de garantir que os contadores possam alcançar seu potencial máximo, mantendo um equilíbrio saudável entre trabalho e bem-estar pessoal.
Ver notícias
Uberlândia, MG
22°
Tempo limpo

Mín. 17° Máx. 30°

21° Sensação
2.57km/h Vento
43% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h46 Nascer do sol
05h50 Pôr do sol
Dom 28° 15°
Seg 29° 16°
Ter 29° 16°
Qua 30° 16°
Qui ° °
Atualizado às 23h06
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,93 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,05%
Bitcoin
R$ 332,826,77 +0,41%
Ibovespa
128,896,98 pts 0.47%
Publicidade
Publicidade