Nova CNH começa a valer em junho, troca do documento será obrigatória?

Conheça as mudanças e quais serão as exigências para a troca do documento a partir de junho

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou a resolução nº 886 em 13 de dezembro de 2021, que trás a reformulação da nova Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Com relação as mudanças no novo documento, teremos uma nova identidade visual no documento assim como novas classificações impressas na CNH, com veículos divididos por novas categorias.

Novo visual da CNH

A carteira de motorista terá um novo visual, dentre as mudanças no visual teremos novas cores no documento que atualmente é predominante do verde e agora também será preenchido com a cor amarela.

Também teremos uma marcação que evidencia quais os modelos que cada motorista está autorizado a conduzir em todas as regiões do país.

Será implementado na CNH um código utilizado nos passaportes, o que permitirá que o condutor possa embarcar nos terminais de autoatendimento nos aeroportos brasileiros.

O QRCode será mantido no documento, assim como servirá para validação e armazenamento de todas as informações de cada motorista, inclusive a foto do documento.

A CNH conterá a letra “P” no caso do motorista que ainda possui a Permissão para dirigir, e “D” para quem já tem a carteira de motorista definitiva.

Carteira Nacional de Habilitação (CNH)

Quando começa a valer a nova CNH?

A nova CNH terá validade a partir do dia 1º de junho de 2022, o que muitas pessoas estão na dúvida é com relação a troca do documento.

Todavia, em nota, o Governo Federal afirmou que a substituição será gradativa para as novas habilitações assim como à medida em que os condutores já habilitados forem renovando ou emitindo a segunda via do documento.

As mudanças trazidas na nova CNH tem como objetivo se aproximar ainda mais das habilitações de motoristas ao padrão internacional.

Demais mudanças na CNH

Além do visual remodelado, o novo documento trata das categorias veiculares que terão agora um total de 14 combinações, permanecendo as letras (A, B, C e D) e também uma sequência com o número 1.

Essa mudança tem como objetivo representar um padrão de letras e símbolos para cada categorias de veículos em que o condutor esteja habilitado para a condução.

Sendo assim, dentro das categorias teremos subcategorias definidas na Convenção de Viena (A1, B1, C1, D1, C1E, e D1E) na nova CNH.

O que não se sabe ainda é informações quanto a separação entre a letra inicial A e A1 e uma possível mudança que limitará a condução por tamanho da moto ou ainda por cilindradas, que deve ser definida em breve.

Através do novo padrão adotado a CNH do Brasil será reconhecida com mais facilidade entre outros países em que existe reciprocidade ao padrão mundial do documento.

Comentários estão fechados.