Nova versão do Programa da ECF: vejas quais são as alterações

Nesta semana foi publicada a versão 7.0.9 do programa da ECF (Escrituração Contábil Fiscal). Segundo a Receita Federal, as alterações pretendem trazer melhorias ao desempenho do programa no momento da validação do arquivo da escrituração. 

Diante disso, os contadores e gestores das empresas obrigadas a apresentar esse documento, referente ao ano-calendário de 2020, já podem conferir quais são as mudanças.

Para entender a importância da ECF e quais são as correções feitas pela versão 7.0.9, acompanhe esse artigo.  

Entenda a ECF 

Todas as pessoas jurídicas, inclusive imunes e isentas, sejam elas tributadas pelo lucro real, lucro arbitrado ou lucro presumido, devem fazer a transmissão da ECF.

Estão isentas apenas as pessoas jurídicas optantes pelo Simples Nacional; os órgãos públicos, às autarquias e às fundações públicas, além das pessoas jurídicas que não tenham efetuado qualquer atividade operacional durante 2020. 

Essa é uma obrigação anual e, através dessa escrituração, são informadas todas as operações que influenciam a composição da base de cálculo e o valor devido do IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Versão 7.0.9

Quem está se preparando para apresentar a ECF, saiba que dentre as principais alterações estão as seguintes:

  • Correção do erro na geração do relatório de impressão de pastas e fichas em relação ao registro 0010;
  • Correção das regras de recuperação da ECD;
  • Melhorias no desempenho do programa no momento da validação do arquivo da ECF.

O programa é acessado através do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), sendo assim, todas as instruções referentes ao leiaute 7 podem ser conferidos no Manual da ECF e no arquivo de Tabelas Dinâmicas. Além disso, o programa pode ser acessado na área de downloads do site do SPED

Transmissão da ECF

A escrituração desse documento é feita através do programa validador que, como ressaltamos acima, é acessado no portal do SPED.

Depois de registrar todos os dados necessários, a escrituração deve ser assinada digitalmente, para isso utilize um certificado digital. Neste ano, a Instrução Normativa n°. 2.039 estendeu o prazo de entrega.

Então, o documento que deveria ser apresentado até o dia 30 de julho, deve ser enviado até o último dia útil de setembro. Essa alteração também se estende aos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação.

Para essas situações, a escrituração deve ser entregue pelas pessoas jurídicas extintas, cindidas, fusionadas, incorporadas e incorporadoras, observados os seguintes prazos:

  • se o evento ocorrer no período compreendido entre janeiro a junho, a ECF deve ser entregue até o último dia útil do mês de setembro;
  • se o evento ocorrer no período compreendido entre julho à dezembro, a ECF deve ser entregue até o último dia útil do 3º mês subsequente ao do evento;

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.