Novas faixas etárias são incluídas para vacinação, entenda

Na próxima semana, o Brasil receberá 842,4 mil doses da vacina Pfizer/BioNTech, cumprindo a previsão de chegada dessa remessa para junho.

Esse é o primeiro lote referente à aliança liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros parceiros. Até julho, está prevista a entrega de mais um lote com 4 milhões de doses  através do consórcio Covax Facility. 

No total, o contrato prevê que 42,5 milhões de doses de vários laboratórios, sejam entregues ao Brasil até o fim de 2021. Enquanto isso, os estados seguem distribuindo as doses recebidas.

Segundo o Ministério da Saúde, toda semana a estratégia de distribuição de vacinas é revisada levando em conta as entregas dos laboratórios. 

Através disso, o objetivo é garantir a cobertura do esquema vacinal no tempo recomendado de cada imunizante. O balanço mais recente do Ministério da Saúde indica que desde janeiro já foram distribuídas mais de 109 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. 

Quem pode vacinar?

Desde o começo da vacinação, foram priorizados determinados grupos e as orientações de imunização foram estabelecidas pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19.

Diante disso, os estados e municípios seguem cumprindo as recomendações e disponibilizando a imunização àqueles que são do grupo prioritário, como idosos, pessoas com deficiência; trabalhadores de saúde; pessoas com comorbidades e gestantes e puérperas com comorbidades. 

Em grande parte do país, os trabalhadores da educação e funcionários do sistema prisional também estão sendo vacinados.

A boa notícia, é que a vacinação também está sendo aberta por idade para aqueles que não possuem comorbidades indicadas no Plano de Vacinação. 

Meta de vacinação 

Nesta semana, novas faixas etárias foram incluídas no cronograma de vacinação dos municípios brasileiros. Assim, vários estados já estão estabelecendo uma meta de finalizar a aplicação da primeira dose.

É o caso de Minas Gerais, que liberou um novo calendário que, agora, prevê a vacinação para pessoas de 59 e 18 anos. Com isso, a previsão é de que a imunização se estenda até outubro. 

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil
Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Por sua vez, o governo de São Paulo destacou que a população adulta dos 645 municípios estará vacinada até o dia 15 de setembro. Segundo o novo calendário disponibilizado pelo estado, as pessoas com idade a partir de 40 anos poderão se vacinar ainda neste mês. 

Nesta semana, as maiores cidades de Santa Catarina também começaram a aplicar a primeira dose em pessoas sem comorbidades, acima de 50 anos. O Ceará se mostrou bastante otimista com o andamento da vacinação e estabeleceu que prevê toda a população adulta vacinada até o dia 25 de agosto.

Outras regiões como o Acre, Amazonas, Mato Grosso, Roraima, Tocantins, Mato Grosso do Sul ainda não divulgaram suas estimativas para finalizar a aplicação da primeira dose, e afirmam que dependem do envio de vacinas pelo Ministério da Saúde.

Como acompanhar a vacinação?

O governo federal disponibilizou o LocalizaSUS, que se trata de uma plataforma que foi modernizada recentemente. Nela foram feitas melhorias para facilitar o acesso de qualquer pessoa às ações que estão sendo desenvolvidas pelo Governo Federal no enfrentamento à covid-19.  

Por meio desta plataforma, que pode ser acessada pelo celular, é possível acompanhar, por exemplo, o andamento da campanha de vacinação e o repasse de recursos aos estados, assim como o envio de testes para covid-19 e medicamentos.

Além disso, se você quer saber sobre a entrega dos imunizantes, basta acessar as opções Vacinômetro – SUS e a Distribuição de vacinas. 

Conforme destacou o diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do Sistema Único de Saúde, Átila Szczecinski Rodrigues, o objetivo do LocalizaSUS é proporcionar mais transparência e melhorar a visualização das informações para o cidadão.

“É um espaço virtual, de acesso facilitado, com painéis digitais dinâmicos e constantemente atualizados, em que podemos acompanhar, com mais precisão e em um só local, as ações do Ministério da Saúde no combate à pandemia”, finalizou. 

Por Samara Arruda

Comentários estão fechados.