Novo RG: quando é preciso trocar a versão antiga do documento

O novo RG vem para trazer mais praticidade ao cidadão, além de potencializar a segurança do documento frente a fraudes. 

Ainda em março, o Governo Federal divulgou a nova carteira de identidade, por meio de um decreto que prevê diversas alterações para o RG (Registo Geral). O documento, agora, passa a ter duas versões, sendo uma digital e outra respeitando o modelo tradicional, impresso em papel moeda ou em cartão de policarbonato.

Dentre as principais mudanças, cabe destaque para unificação das numerações do RG e do CPF (Cadastro de Pessoas Físicas). Desta maneira, agora, os cidadãos terão um único número oficial de identificação, que corresponderá aos dígitos que compõem o CPF. 

Outra iniciativa veio para resolver a problemática, referente a emissão da carteira de identidade em diferentes estados do país, algo que era possível antes das alterações. Sendo assim, a medida padronizou a carteira de identidade para todas as regiões do Brasil, evitando possíveis confusões pertencentes à antiga prática. 

Outras mudanças relacionadas ao novo RG

  • Novo modelo nas cores verde e amarelo; 
  • Novo prazo de validade do documento, o qual irá variar conforme a faixa etária da pessoa. 
  • Autenticação da Carteira de Identidade através do Qr code. O dispositivo funcionará até mesmo de forma offline; 
  • Adoção de padrão internacional MRZ, que servirá o uso do documento na qualidade de passaporte em viagens para países que integram o mercosul; 
  • Informações adicionais como: grupo sanguíneo e fator RH, identificação de doador de órgãos, sexo do titula e nome social; 
  • No documento também constará a expressão: “Válida em todo o território nacional”; 
  • Presença de dados referentes a outros documentos (CNH, CTPS, Certidão de Nascimento) na versão digital. No entanto, vale enfatizar que o Novo RG não substitui nenhuma documentação.

Quando eu preciso trocar a versão antiga pela nova?

O Governo Federal determinou que a nova versão será implementada gradualmente, de modo que todos os órgãos e entidades responsáveis pela emissão do documento tenham até março do próximo ano para adotar as mudanças. 

No caso dos cidadãos, a prazo para troca do documento é bem longa, de maneira que na maioria dos casos a versão antiga terá até 10 anos de validade. Confira: 

Idade do cidadão Prazo para emitir o novo RG
De 0 a 12 anos Terão 5 anos para solicitar a nova versão
De 13 a 60 anos Terão 10 anos para solicitar a nova versão
Acima de 60 anos A versão antiga valerá por tempo indeterminado

Comentários estão fechados.