O investimento que dá certo

Especialista em RH, Mônica Marçulo, explica os benefícios do treinamento

Um dos maiores desafios de uma equipe de Recursos Humanos é criar estratégias para que os funcionários se sintam motivados e capacitados dentro da empresa. Parece simples, mas não é. Para Mônica Marçulo, diretora de RH da Apoio, instituição atuante no ramo da higienização hospitalar e composta por 6.000 colaboradores, o treinamento é uma maneira fundamental de investir numa companhia, independente da área. “Colaboradores bem treinados produzem mais e melhor. É um investimento que a empresa faz para seu crescimento”, comenta. De acordo com a profissional, as capacitações causam um impacto positivo não apenas no capital da instituição, mas no funcionário também. “O colaborador percebe o incentivo da empresa em seu desenvolvimento e gerando o engajamento da equipe e o sentimento de importância no processo”.

No caso da Apoio, a eficiência e produtividade estão aliados a uma grande responsabilidade. Isso porque a empresa presta serviços dentro de hospitais, ou seja, os colaboradores estão trabalhando diretamente com o cliente, em um ambiente passível de infecções. “Os treinamentos que fazemos dentro da Apoio, por exemplo, reforça os protocolos que devemos seguir, o que evita falhas e rupturas no procedimento”, explica. Segundo a diretora de RH, com vasta experiência na área de capacitação, quanto mais treinamentos forem realizados em equipe melhor. “O ideal é que seja, pelo menos, trimestral, mas nem sempre um programa de desenvolvimento consegue abraçar essa necessidade”.

Outro ponto positivo dos encontros é mostrar aos funcionários que o setor de Recursos Humanos não é inacessível, como muitos pensam. O contato maior entre colaboradores de diferentes áreas só traz benefícios para todos. A especialista explica que a aproximação durante as capacitações estabelece um canal de comunicação direto e transparente. “Estar ao lado dos nossos funcionários, nos permite verificar também as demandas das equipes alocadas em contratos, ter o feedback das lideranças e corrigir possíveis desvios comportamentais ou intercorrências que ocorram no cotidiano. O treinamento aproxima e cria um vínculo, onde o colaborador passa a se sentir bem atendido e passa a contar diretamente com o suporte do RH”, analisa.

E a motivação é crucial para que o colaborador se sinta parte do crescimento e dos processos elaborados por uma empresa. “Claro que a motivação é uma experiência variável. Cada pessoa absorve de uma forma. Mas em linhas gerais, o funcionário se sente importante com o investimento e preocupação da empresa com seu desenvolvimento. Treinamento é parte do pacote de benefícios”, pontua Mônica.

Motivação da equipe, engajamento, desenvolvimento técnico e comportamental, integração da empresa com o RH, melhoria ou aprimoramento na didática de treinamento e seus processos, são alguns dos benefícios listados por Mônica. “Quando conseguimos perceber essas atitudes nos colaboradores, nós também saímos ganhando”.