O que aumentou consideravelmente de preço no Brasil? Confira

Confira os produtos básicos para vida do brasileiro que sofreram um aumento no preço devido ao atual cenário do país. 

Além do perigo iminente trazido pela covid-19, a pandemia também contribuiu para que o preço de diversos produtos aumentasse, como valor de combustíveis, alimentos e contas pagas mensalmente pelos trabalhadores. 

Além disso, outro fator que relevante para inflação de alguns produtos diz repeito a disparada da moeda estadunidense (dólar), que no último dia 8 fechou em R$ 5,72. 

Posto isto, confira o que aumentou consideravelmente de preço de modo que afeta diretamente o bolso dos brasileiros. Dentre estes, estão os seguintes produtos: 

  • Carnes; 
  • Prato feito; 
  • Gás de cozinha; 
  • Conta de luz; 
  • Combustíveis; 

Observe no decorrer do artigo como está os índices de preço em cada um dos produtos listados acima. 

– Carne 

Dentre os mais visivelmente percebidos pelos trabalhadores, está a carne. Conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) o produto passou por um aumento de 39,7%, considerando o período de agosto do ano anterior a julho de 2021.  Confira algumas carnes que sofreram um aumento considerável no país no referido período.

  • Músculo –  aumento de 43,4%
  • patinho – aumento de 39%; 
  • lagarto –  aumento de 37,7%; 
  • costela –  aumento de 37,7%; 
  • cupim – aumento de 36,8%; 
  • acém –  aumento de 36,6%.

– Prato feito

Os famosos PFs que foram sempre uma forma de economizar no almoço dos brasileiros, também sofreram com os impactos econômicos da pandemia. Isto ocorre justamente por conta do aumento no valor de determinados produtos normalmente encontrados nos pratos feitos. 

No acumulado de 12 meses até julho deste ano, alguns alimentos que compõem o prato feito subiram 22,7%, tendo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da FGV elevado 8,75%. Confira alguns produtos que levaram o preço do PF triplicar do ano passado até agora: 

  • Carnes de boi – aumento de 32,69%;
  • Arroz – aumento de 37,5%;  
  • Tomate –  aumento de 37,24%;
  • Frango inteiro –  aumento de 22,73%; 
  • Feijão preto –  aumento de 18,46%;
  • Ovos –  aumento de 13,5% ;
  • Alface –  aumento de 9,74%.

– Gás de cozinha

Ainda no âmbito de alimentação, o gás de cozinha também tem interferido na garantia deste direito básico a quem se encontra em condição de vulnerabilidade no país. Vale ressaltar que o estado de São Paulo criou o programa, vale-gás, justamente para viabilizar a compra do botijão de 13 kg para famílias mais carentes de renda. 

Neste sentido, a preço do botijão de gás atingiu na semana passada o valor médio de R$ 91,63, na comparação mensal não houve alterações, todavia, de janeiro até o momento, o gás passou por um aumento no percentual de 25,2%, conforme os dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo). 

– Conta de luz 

Outro “item” básico, essencial na atual sociedade diz respeito à conta de luz. Até o momento a  Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), estabeleceu uma nova bandeira, sendo ela de escassez hídrica, de modo que é cobrado R$ 14,20 por 100 kWh.    

Para entender o como o preço aumentou consideravelmente, basta comparar com a bandeira anterior, que já era vermelha patamar 2, nesse sentido a atual cobrança representa uma elevação de 49,6%, sendo que esta bandeira anterior já havia apresentado um aumento de 52%. Cabe salientar que de um ano até o momento, a conta de luz sofreu um reajuste de 20%. 

– Combustíveis 

Por fim, claro que cabe o destaque para o preço dos combustíveis, dado que o valor destes em postos de abastecimento tem surpreendido cada vez mais os condutores brasileiros. Para ter uma ideia, já é possível encontrar o preço da gasolina em R$ 7,00 em algumas localidades, como é o caso do estado do Rio de Janeiro. 

Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP) o valor médio da gasolina está em R$ 6,007, o que representa um aumento de 0,41% em relação à última semana, no acumulado anual o combustível passou por aumento de 33%. Confira os mais altos preços da gasolina em algumas capitais brasileiras conforme as pesquisas da ANP. 

  1. Teresina (PI) – R$ 6,49 por litro;
  2. Rio de Janeiro (RJ) – R$ 6,41
  3. Goiânia (GO) – R$ 6,40

A cidade de Macapá do Amapá, até o momento é a capital com o litro mais barato do país, com o valor de R$ 5,17. 
Em relação ao Etanol, o preço médio está em R$ 5,175, é o que aponta o último Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Com três meses seguidos acima da casa dos R$ 5,00, o combustível representa no acúmulo anual, contado de janeiro até o momento, um aumento de 37%.

Comentários estão fechados.