O que é DRE? Saiba como e quando fazer

0
Designed by @wichayada / Freepik

Você sabia que entre as obrigações das empresas está a elaboração da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)? Esse documento se trata de um relatório onde constam informações contábeis e fiscais da sua empresa e, diante disso, é possível verificar se o empreendimento está gerando lucro ou prejuízo. 

Porém, esse documento pode ainda ser considerado um ítem essencial para o sucesso do seu negócio.

Por isso, continue acompanhando esse artigo para entender como e quando fazer a DRE. 

Utilidade da DRE

Através desse relatório é possível acompanhar o real desempenho da sua empresa, pois, são analisadas as receitas e despesas.

Desta forma, o uso da DRE poderá te ajudar a tomar melhores decisões visando a redução de custos e aumentar o faturamento da empresa.

Algumas informações que você pode obter com o demonstrativo, são: 

  • Despesas gerais;
  • Composição dos custos relacionados aos produtos e serviços;
  • Receita total de vendas;
  • Lucro obtido pelas operações;
  • Incidências dos impostos sobre os produtos;
  • Nível de endividamento que pode ter.

Por isso, o governo também utiliza as informações do relatório para averiguar se houve o pagamento de tributos de acordo com o regime da empresa, comparando ainda o lucro informado na DRE e aqueles que foram declarados no imposto de renda (IRPF).

As instituições financeiras também utilizam a DRE para verificar a situação financeira da empresa, em casos de pedido de crédito.

Quando fazer?

Esta é uma obrigação anual, mas as empresas também têm a opção de fazer mensalmente para fazer uma análise dos dados ou ainda trimestralmente, para verificar o cumprimento das obrigações fiscais do empreendimento.

Vale ressaltar que a demonstração deve ser feita juntamente com o Balanço Patrimonial. 

Como devo fazer a DRE?

Primeiramente, é preciso saber que o documento deve conter a assinatura de um contador e, de acordo com a Lei 6.404/1976, artigo 187 que foi modificado pela Lei 11.638/2007, devem ser registrados os seguintes dados: receita bruta; receita líquida das vendas e serviços; lucro bruto; lucro ou prejuízo líquido do exercício.

De forma resumida, a sua estrutura ficará da seguinte forma:

Receita Bruta

  • (-) Deduções e abatimentos
  • (=) Receita Líquida
  • (-) CPV (Custo de produtos vendidos) ou CMV (Custos de mercadorias vendidas)
  • (=) Lucro Bruto
  • (-) Despesas com Vendas
  • (-) Despesas Administrativas
  • (-) Despesas Financeiras
  • (=) Resultado Antes IRPJ CSLL
  • (-) Provisões IRPJ E CSLL
  • (=) Resultado Líquido.

Para encontrar essas informações, é necessário fazer os devidos cálculos e, para evitar erros, é importante contar com a ajuda de um profissional contábil que possui experiência neste assunto e irá considerar  todas as informações necessárias para a elaboração da DRE da sua empresa.

A única exceção para a entrega da DRE são as empresas do MEI (Micro Empreendedor Individual).

Modelo de DRE

Para entender melhor, confira um modelo de DRE: 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda