O que é fator R no Simples Nacional?

0

Na matéria de hoje vamos explicar o que é o fator R no regime Simples Nacional e de uma forma simples e rápida vamos explicar o que é Simples Nacional.

Continue conosco e tire suas dúvidas. 

O que é Simples Nacional? 

Este regime é compartilhado de cobrança, arrecadação e fiscalização de tributos aplicável às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, este regime está previsto na Lei complementar n° 123, de 14 de dezembro de 2006. 

O Simples Nacional abrange a participação de todos os entes federados (União, Estados, Distrito Federal e Municípios).

Como é administrado o Simples Nacional? 

Este regime é regido por um Comitê Gestor composto por oito integrantes, sendo:

  • Quatro da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB);
  • Dois dos Estados; 
  • Distrito Federal e dois dos Municípios. 

Quais os requisitos para ingressar  no Simples Nacional? 

  • Enquadrar-se na definição de microempresa ou de empresa de pequeno porte;
  • Cumprir os requisitos previstos na legislação; e
  • Formalizar a opção pelo Simples Nacional.

Agora vamos para o ponto principal da nossa matéria o que é Fator R no simples nacional? Confira! 

Fator R 

O Fator R é cálculo que vai determinar se a atividade exercida por uma empresa terá como base de tributos as alíquotas do Anexo III ou do Anexo V do Simples Nacional. 

O que é anexo III do Simples Nacional? 

Este anexo se enquadra em atividades de: 

  • Serviços de manutenção;
  • Reparos e usinagem até agências de viagens; 
  • Escritórios contábeis;
  • Escolas e empresas médicas.

Essas alíquotas vão variar entre 6% e 33% de acordo com a Receita Bruta. 

Qual a relação do fator R e qual a relação com este anexo III? 

Com esta fórmula que vamos passar, fica fácil de descobrir se a tributação da sua empresa se enquadra no Anexo III e para isso o resultado deve ser igual ou superior a 28%.

Veja o exemplo a seguir: 

Fator R = massa salarial / receita bruta

Fator R = R$ 11.200,00 / R$ 40.000,00

Fator R = 0,28 ou 28%

O que é Anexo V do Simples Nacional? 

Este é o último dos anexos da tabela do Simples Nacional, ele determina as alíquotas de impostos para um determinado grupo de empresas prestadoras de serviço. 

Qual a relação do fator R com o Anexo V? 

Com a alteração da Lei Complementar n° 155 em 2018, entrou em vigor o chamado “fator R” ; o mesmo trata-se de um cálculo baseado na folha de pagamento que determina se a empresa de serviços será enquadrada no Anexo III ou no Anexo V. 

O mesmo foi criado logo depois da exclusão do Anexo VI do Simples Nacional e transferência de suas atividades para o Anexo V, o objetivo é reduzir a carga tributária das empresas de serviços que têm altos custos com salários. 

O cálculo é a relação percentual entre os gastos com folha de pagamento e o faturamento bruto dos últimos 12 meses, de acordo com os termos da lei: 

  • Se a razão entre a folha de salários e receita bruta for superior a 28%, a empresa é tributada pelo Anexo III
  • Se a razão entre a folha de salários e receita bruta for inferior a 28%, a empresa é tributada pelo Anexo V.

No que está relacionado as alíquotas do Anexo III elas possuem valores mais baixos ( 6% e 11,2% nas primeiras faixas), já no anexo V a porcentagem é de 15,5% na primeira faixa.

Portanto se você optar pelo Anexo V, você terá grande chance de ser enquadrado no Anexo III. 

Esta forma de identificar a tributação de um negócio, surgiu logo após a alteração da Lei Complementar n° 123/2006 que é responsável pela regulamentação de benefícios instituídos às microempresas e empresas de pequeno porte, lembrando que isto inclui a apuração e o recolhimento de impostos municipais, estaduais e federais. 

Modificações da Lei 

Essas alterações da Lei foram efetivadas por outra Lei Complementar, a de n° 155/2016, ela tem o objetivo de reorganizar e tornar mais simples para averiguar os impostos das empresas optantes do Simples Nacional. 

Extinção do Anexo VI 

Uma das mudanças mais significativas da nova Lei Complementar está a extinção do Anexo VI e com isso as atividades econômicas que se enquadravam nessa tabela que passaram a fazer parte do Anexo V. 

E por isso dependendo do valor da folha de pagamento, se comparando com o faturamento anual, em algumas atividades é possível ser enquadradas no Anexo III, que é um ponto positivo para o empreendedor pagar menos impostos, uma vez que sua tabela conta com alíquotas menores. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Laís Oliveira