Foi publicado no Diário Oficial da União, no último dia 5 de janeiro, a Medida Provisória nº 766/17, que estabeleceu o Programa de Regularização Tributária (PRT) – popularmente chamado de REFIS 2017 – para a quitação de débitos vencidos até 30/11/2016, sejam esses de natureza tributária ou não e de pessoas jurídicas ou físicas.

A MP será regulamentada até o início de fevereiro pela Receita Federal e pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, quando se iniciará o prazo de 120 dias para adesão ao programa.

A valor da entrada para adesão ao parcelamento é, na maioria das opções, de 20% sobre o total do débito e, diferentemente do que ocorreu em diversos programas anteriores, não há previsão para redução de multa e juros, o que poderá coibir a adesão por parte de diversas empresas.

Esse e outros pontos do texto poderão ser alterados pelo Congresso Nacional, mas até o momento, apesar da pressão já existente, não existem indícios de que isso ocorrerá. Tal posição corrobora com o entendimento de diversos especialistas que apontam a abertura de programas de parcelamentos com redução de multas e juros como um forte estímulo a cultura de não pagamento de tributos no Brasil.

Uma das novidades trazidas pelo texto, é a possibilidade da utilização de prejuízos fiscais e da base de cálculo negativa de CSLL para a quitação dos débitos. Vale mencionar que para aderir ao programa, os contribuintes devem estar quites com as obrigações referentes ao FGTS. Via Administradores

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.